Concelho

“asLuísas” já costuram o mundo da moda ponto a ponto

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

O nome é no plural, mas as “roupas por medidas” são feitas a duas mãos. Eduarda Moreira “aproveitou” um mau momento para aprender a costurar e ponto a ponto vai “cosendo” uma nova área profissional. Camisas de homem são a imagem de marca.

 

Como é que surgiu o projecto asLuísas?
O projecto tem três anos, dinamizado apenas por mim, apesar de ser um nome no plural. No fundo o que faço é roupa por medida. Daqui a uns tempos gostaria de ter peças já feitas para que os meus clientes pudessem comprar e levar logo, mas para já não. A pessoa escolhe o tecido, escolhe o modelo, para ter roupa personalizada.

E de onde surge o nome no plural?
O nome Luísa é da minha avó, queria que fosse o da minha mãe, Alice, mas não funcionava no plural, e escolhi Luísas.

Sempre gostou de costurar?
Aos 11 anos a minha mãe pôs-me um Verão numa costureira para eu aprender, e havia costureiras na minha família, mas nunca me interessei muito por isso. Este projecto surge porque precisava de ter um hobby pós laboral. Gosto de roupa, mas gosto de roupa retro e vintage, aliás muita da minha roupa é comprada em segunda mão, e não se encontra assim tanta. Quando encontro o atelier Portuense, no Porto, pensei que iria fazer umas peças para mim, e ficava por aí, mas as pessoas começaram a perguntar onde é que tinha comprado aquela peça, e começaram a encomendar. As encomendas foram crescendo e pensei que se calhar poderia ter um micro-negócio em part-time, porque tenho um emprego a tempo inteiro.

Leia mais na edição impressa do Jornal N