Concelho

Depois da mudança drástica, novo paradigma no Colégio de Lamas

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Com o fim dos contratos associações para os colégios privados, o Colégio de Lamas sofreu uma quebra “brutal” do número de alunos inscritos e mudou de paradigma. O Jornal N, foi saber pela directora, Dra. Joana Vieira, os desafios que enfrentam e o que lhes reserva o futuro.

 

Este é o segundo ano do fim dos contratos associação, qual a realidade actual do Colégio de Lamas?
Estamos numa fase de reestruturação e mudança, e propomos um novo colégio, com um novo paradigma, o Colégio de Lamas que conhecíamos está em transformação. Tem um caminho traçado e delineado para os alunos e para as suas famílias, baseado na informação pedagógica e nas tecnologias. Somos uma Microsoft Showcase School e também vamos trabalhar como Apple School, para oferecer aos nossos alunos um caminho de modernidade, temos estado a anunciar a escola do futuro.

 

Quais são as novas ofertas?
No pré-escolar e 1º ciclo, o ensino é completamente inovador com o modelo de aprendizagem baseado na cidadania criativa. Estas crianças têm novas instalações, não são reconstruídas, são novas para este níveis de ensino. Serão exploradores criativos, valorizando a educação para os valores, a cidadania e o respeito pelos outros.

 

O Colégio vai mudar radicalmente?
Procuramos sempre a excelência, temos uma organização muito própria que todos conhecem, sempre tivemos muita coisa boa, nesta mudança vamos reforçar o que temos de bom – a segurança, o acolhimento ao aluno, uma equipa docente muito dedicada e competente e os resultados, e a preparação para a vida futura.

 

Como é que estão a adaptar-se à mudança?
Estamos a viver a mudança com muita alegria e entusiasmo, é claro que é com muita tristeza que vemos sair alunos porque as suas famílias deixaram de ter possibilidades para estar no colégio, quem ficou mais prejudicado com a falta de financiamento foram os mais desfavorecidos por não poderem usufruir deste espaço, destes equipamentos que nenhuma escola tem, agora esta escola é para as famílias que podem suportar.

 

Leia mais na edição em papel do Jornal N