Concelho

Feira acolhe Jornadas da Juventude

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Santa Maria da Feira acolheu, nos passados dias 8, 9 e 10 de novembro as Jornadas da Juventude, organizadas pela Fundação da Juventude, em parceria com a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, no âmbito do projeto A(gentes)M – Jovens Agentes de Mudança e da ação 3 do programa Erasmus +, Juventude em Ação.
Com o lema “cidadania Global: Os jovens e o Mundo”, mais de 250 jovens até aos 30 anos de idade e vindos de várias partes do país chegaram a Santa Maria da Feira para três dias em que foram eles os protagonistas na promoção de uma cidadania ativa e informada.
Nas jornadas foram discutidos temas como “Construir a mudança: sociedades inclusivas – realidade ou utopia?”, “Trabalho – que futuro?” e “Qual a importância da união europeia no quotidiano dos jovens?”, onde participaram “representantes da Comissão europeia e do Parlamento Europeu em Portugal, dirigentes de institutos públicos e do Conselho Nacional da Juventude – CNJ, vereadores, investigadores, técnicos responsáveis pelas políticas locais e nacionais na área da juventude bem como jovens dirigentes associativos e jovens estudantes”.
As Jornadas, que decorreram maioritariamente no Isvouga, iniciaram na quinta-feira, dia 8, com um “peddy-paper pela inclusão”, às 16:00, seguindo-se, às 18:30, a sessão de boas vindas na Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira com a presença da vereadora da Educação, Desporto e Juventude da Câmara Municipal, Cristina Tenreiro, do embaixador das Jornadas da Juventude Amadeu Albergaria, da Presidente executiva da Fundação da Juventude Carla Mouro e de dois representantes dos Jovens do grupo motor A(gentes)M, Sofia e Ivo.
Depois de explicar um pouco o modo de funcionamento das jornadas, Carla Mouro, na sua intervenção, apelou aos presentes para “aproveitarem esta oportunidade”.
“Há vinte anos que tenho o privilégio de trabalhar em políticas de juventude. As Jornadas da Juventude são uma oportunidade muito grande que todos os presentes têm para estar em contacto com convidados completamente distintos dos que têm nas escolas ou no vosso dia a dia.
Espero que façam disto uma festa em todos os momentos de uma forma responsável, uma festa de participação, de diversidade, da inclusão entre todos. Tirem dúvidas. Venham ter comigo e perguntem tudo o que acharem necessário.
A participação que podem dar na entrega das conclusões ao secretário de estado, ao Conselho Nacional da Juventude e às outras entidades é uma responsabilidade muito grande. Há que assumi-la. É uma responsabilidade de todos nós fazer com que isto corra bem. Não deixem que nós tornemos isto demasiado formal. Queremos tornar isto leve, participado para que no final dos dias achem que tudo isto valeu a pena”, realçou a presidente executiva da Fundação da Juventude.

Leia mais na versão impressa do Jornal N