Concelho

Museu de Lamas integra Rede Portuguesa de Museus

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

É o culminar de um processo que conhece início há quase uma década. Na passada segunda-feira, 27 de Agosto, o “Museu da Cortiça” foi reconhecido pelo Ministério da Cultura, em Diário da República, como portador da certificação como novo membro da Rede Portuguesa de Museus (RPM). A certificação em muito honra e engrandece este espaço e sua respetiva equipa, o seu estatuto na região e o próprio posicionamento no panorama museológico português. Um reconhecimento que é extremamente importante para o Museu, que tributa todos os diferentes momentos evolutivos do trabalho realizado neste espaço desde 2004 (ano que marcou o inicio da sua requalificação), definindo-se como um claro símbolo de qualidade do trabalho da equipa que dinamizou e dinamiza o Museu de Santa Maria de Lamas (MSML).
A candidatura obrigou, entre muitas outras diretivas e ações, a garantir o reforço e consolidação da equipa do Museu, a promoção e aumento de atividades interpretativas e educativas, tal como o melhoramento das acessibilidades, da sinalética interna e externa (de mobilidade e interpretação), a reorganização do espaço das reservas e a exaustiva elaboração de documentos específicos, técnicos, científicos e obrigatórios para a credenciação, citando-se: o “Regulamento”, o “Plano de conservação preventiva” e o “Plano de segurança e emergência”.
Executando o global cumprimento relativamente ao exercício das funções museológica determinadas na Lei-Quadro dos Museus Portugueses (Lei n.º 47/2004, de 19 de agosto), com a credenciação e consequente inclusão na RPM, o Museu lamacense ganha uma maior notoriedade, maior valorização e qualificação no quadro da realidade museológica nacional. Assim sendo, neste enquadramento, o MSML promete trabalhar em harmonia com os valores desta Rede, que promove uma maior cooperação institucional e a articulação entre museus, promovendo e assegurando o rigor e o profissionalismo das práticas museológicas e das técnicas museográficas implementadas e a implementar.

Leia mais na edição impressa do Jornal N.