Concelho

Parquímetros: CDS quer Assembleia Municipal exclusiva e BE pede rejeição do acordo

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

O acordo que se avista entre a Câmara Municipal  e a empresa responsável pela exploração de estacionamento na cidade de Santa Maria da Feira, P. Parques, continuou a dividir opiniões na semana transacta. São várias as forças políticas a manifestarem-se contra o enlace proposto. O Bloco de Esquerda de Santa Maria da Feira irá avançar com uma proposta, na próxima sessão de Assembleia Municipal, para que seja aprovada a “rejeição” das negociações impostas até ao momento. Em comunicado, o partido sublinha que a Câmara Municipal “mente” quando afirma que “não perdoou nem um cêntimo à empresa, e que a Câmara será ressarcida de toda a dívida”. “A Câmara, com este acordo, prejudicou o erário público em meio milhão de euros. Traiu o interesse público para beneficiar uma empresa privada que já provou não ser de confiança” – consideram os bloquistas. O Bloco acusa ainda Emídio Sousa, Presidente da Câmara Municipal, de “ludibriar” os feirenses, perante a sua “indignação” e “contestação popular”, apontando o dedo ao PSD como principal culpado da situação corrente. “Mas os factos são o que são, e é por eles que a Câmara deve responder. O PSD permitiu que uma empresa privada deixasse de pagar o que é devido ao Município durante 8 anos. Acumulou uma dívida que com juros ascendeu a quase 850 mil euros. Em vez de lhe retirar a concessão, deixou a dívida acumular-se sem nada fazer durante anos. Em vez de exigir os 850 mil euros, que pertencem aos feirenses, decidiu perdoar mais de metade da dívida e permite que a empresa infratora continue a explorar o estacionamento no município” – lê-se, no documento emitido. O partido reitera que a Autarquia mente “descaradamente” aos feirenses, sublinhando que a dívida da P. Parques ao Município “ascende” os 849.741,24 euros e que, desse valor, a empresa se confessa devedora “de apenas 295.000 euros”. “entretanto, a empresa infratora pode continuar a explorar o estacionamento à superfície, exigindo aos feirenses que paguem para estacionar, enquanto a empresa não paga por explorar o espaço público. “Este acordo é vergonhoso e atenta contra o interesse e o erário públicos. Por isso, o Bloco de Esquerda entregará uma moção para ser agendada e debatida na próxima Assembleia Municipal onde se proporá a rejeição do acordo, o fim da concessão e a exigência de pagamento de toda a dívida em falta por parte da P. Parques” – anuncia o BE, que entregou inclusive o acordo à avaliação do Ministério Público.

 

Leia mais na edição impressa do Jornal N.