Concelho

Portas abertas à Saúde do Futuro

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Foram três dias dedicados à aprendizagem, à formação e à partilha de experiências e ideias entre aqueles que serão os profissionais de saúde do futuro. A edição de 2018 das Jornadas do Internato Médico (JIM) arrancaram na passada quarta-feira, 17 de Outubro, nas instalações do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV), num dia maioritariamente dedicado à realização de workshops. Já a 18 e a 19, o espaço escolhido foi o Hostel da Praça, no “coração” de Santa Maria da Feira, onde as palestras, conferências e conversas ganharam forma.
Na sessão de abertura do certame, Miguel Paiva, presidente do Conselho de Administração do CHEDV, sublinhou a tarefa e consciência social que a instituição hospitalar tem vindo a adquirir, estando localizada “numa das regiões mais dinâmicas do país”. “Só existem territórios bem resolvidos se a saúde das suas populações for preservada. A formação acaba por funcionar como um enorme estímulo para o pessoal da casa: permite-nos a renovação da equipa de profissionais, e a experiência mostra-nos que existe uma maior facilidade em trazer médicos em especialidades que englobem esta vertente” – assinalou o responsável. Houve ainda tempo para Miguel Paiva atentar no papel que os profissionais de saúde desempenham na vida dos doentes que têm a seu encargo, partilhando uma experiência recente: uma carta escrita por um utente, entregue ao presidente do Conselho de Administração do CHEDV depois do seu falecimento. “Ontem dei comigo a chorar no meu gabinete. Li uma carta de um doente, escrita antes do seu falecimento, que passou o último mês da sua vida internado no nosso hospital. É um documento absolutamente arrasador e brutal, não consegui conter as lágrimas… Dizia que os cuidados que lhe prestamos tiveram um significado tremendo. Todas as palavras, todos os gestos, todas as vezes que lhe perguntaram se estava bem, e se precisava de alguma coisa. Isto é algo que só os profissionais de saúde conseguem. Vocês, como médicos, têm este poder”- afirmou Miguel Paiva, dirigindo-se ao público.

Leia mais na versão impressa do Jornal N