Concelho

Reabilitação da quinta do Castelo

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Prazo da obra deverá ser prorrogado para “colocação de sementeiras”

Na passada sexta-feira, 2 de Novembro, pelas 10h30, o Presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, Emídio Sousa, liderou uma visita à obra de requalificação da Quinta do Castelo de Santa Maria da Feira, fazendo-se acompanhar pelo vereador do pelouro das Obras Municipais, António Topa Gomes, e pelo vereador da Cultura, Gil Ferreira. A Requalificação da Quinta totaliza um investimento orçado em cerca de 2 milhões de euros, e a intenção é de que a prorrogação do prazo de execução da obra seja levado a Reunião de Câmara, interrompendo os trabalhos entre os dias 24 de Novembro e 15 de Janeiro, precisando, depois, de “cerca de um mês” para o seu término. “A colocação da vegetação, nomeadamente de sementeiras, não foi feita agora. A intenção é de que o prazo seja suspenso, já que correríamos o risco de toda a matéria verde morrer durante o Inverno” – afirmou o Presidente da Câmara. Já António Topa Gomes, vereador das Obras Municipais, sublinhou a “aproximação” de Perlim e o “aglomerado” de visitantes que a zona receberá, o que também poderá funcionar como um fator a favor da suspensão no tempo previsto. “Vamos levar o assunto a uma próxima Reunião de Câmara, para que o prazo seja prorrogado. Teríamos o término previsto para 7 de Dezembro, e tencionamos que o período de suspensão seja entre os dias 24 de Novembro e 15 de Janeiro. Os trabalhos deverão ficar concluídos em Fevereiro, ou seja, um mês depois, que seria sensivelmente o mesmo intervalo temporal que teríamos agora para o fazer” – afirmou o vereador.

O espaço ficará equipado com novas valências, como explica Emídio Sousa. “Este espaço está a ser todo eletrificado, com equipamentos de som, por exemplo, e terá wi-fi para todos. Temos que nos relembrar que estamos a recuperar um espaço verde, é certo, mas queremos simultaneamente atender às necessidades actuais” – avançou o edil. A estratégia “vai de encontro” ao que foi pensado para o local. “Queremos criar sítios, nesta Quinta, onde possam acontecer espectáculos, e também requalificar vários caminhos pedonais. Tudo isto vai de encontro à estratégia do executivo na aposta na requalificação da paisagem urbana, e não tenho dúvidas que a Quinta do Castelo fará parte do núcleo de vida das pessoas de Santa Maria da Feira” – anseia o Presidente da Câmara. Assim, numa área de intervenção de 4 hectares, existirão “vários pontos de luz, ligações de saneamento e som”, através da colocação de várias “caixas técnicas” que se fundirão com a paisagem, sem interferir na mesma, como reforçou Gil Ferreira. “Esse foi um dos principais pressupostos iniciais: garantir que as várias ligações que efectuamos no local não interferem nem distraem os visitantes da envolvência da paisagem” – sublinhou o vereador da Cultura.

Leia mais na versão impressa do Jornal N