Concelho

Viver 100 Fronteiras nega qualquer processo judicial

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Esta semana, a ONG Viver 100 Fronteiras, sediada em Fiães, saltou para as capas dos jornais. Vários órgãos de comunicação social noticiaram a apreensão de vestuário das marcas Salsa e Tiffosi no armazém da instituição, dando conta que a ONG da Feira estaria indiciada pelos crimes de burla e fraude fiscal, facto que a responsável Natália Oliveira nega.

Em causa estaria uma apreensão que ocorreu no dia 28 de Setembro, “confirmo que houve um auto de apreensão, não posso confirmar o número de peças, foi pedido para fazer uma contagem física, mas a apreensão foi aleatória” – explica Natália Oliveira. Quanto ao processo judicial, a responsável da ONG continua a negar estar indiciada ou ser arguida de qualquer processo pela venda de artigos da marca Salsa doados à instituição que seriam alegadamente vendidos em feiras. “Nunca vendi nenhuma peça em feiras nem em lado nenhum, isto é uma barbaridade, é uma mentira” – defende. “Até posso dizer que me vieram informar em Novembro de que estariam a ser vendidos artigos da salsa na Feira dos 10, eu fui lá e tirei fotografias aos artigos, e enviei um email para a marca a denunciar a situação, porque não podia ficar indiferente a isso. Agora, será que estou a ser vítima dessa denúncia? Não sei” – diz. “É mentira, é uma vilania que me estão a fazer” – lamenta a responsável da ONG.

 

Leia mais na edição impressa do Jornal N