Concelho

Voto de confiança ao presidente

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Funcionários da Aanifeira quebram silêncio e afirmam que Vítor Barros fez um “bom trabalho”

Vítor Barros é o actual presidente da Associação dos Animais de Santa Maria da Feira. Ângela Quaresma a Vice – Presidente. No entanto a concordância entre os dois ocupantes dos cargos é inexistente. Isto porque os associados foram convocados para uma Assembleia Geral Extraordinária no passado dia 13 de outubro em que Vítor Barros foi destituído pelos sócios da presidência e Ângela Quarema se demitiu.
No entanto, ao Jornal N, Vítor Barros afirma que a Assembleia Geral foi “ilegal” e que “ isto é uma tentativa de usurpação da Aanifeira, em que foram quebradas todas as regras, normas e procedimentos para chegar ao poder”.
“Isto começou com uma publicação de ata em IRN absolutamente ilegal. Posteriormente a isso tentaram fazer uma assembleia geral com os poderes que foram falsamente atribuídos nessa ata. Interpus uma providência cautelar e o tribunal deu-me razão nessa providência dizendo que era ilegítima quer a nomeação da presidente de mesa quer a convocatória. Como o juiz deu despacho favorável à providência cautelar, ou seja, anulou a convocatória e consequentemente a assembleia tentaram fazer uma nova assembleia desta vez com uma presidente de mesa que se tinha demitido. Para evitar confrontos de qualquer natureza optei por fechar as portas”, explicou Vítor Barros, acrescentando que agora está à espera da resposta à injunção que interpôs a essa Assembleia.
Relativamente às respostas do tribunal Vítor Barros é assertivo. “Agora estou a aguardar as respostas do tribunal para proceder depois com as devidas providências mediante o resultado. Estou crente que o tribunal nos irá dar razão e não tenho plano B para o caso de o tribunal não dar seguimento a essa situação. Claro que há sempre recursos que podem ser feitos mas é tanta ilegalidade e tanta repetição e há uma tentativa de usurpação da associação que não se coaduna com as bases legais”.
Paulo Santos é funcionário da Aanifeira há 12 anos. Juntamente com os demais funcionários subcrevem um comunicado onde expõem o seu parecer relativamente a esta situação. Afirmam que não concordam com a política de gestão da actual Vice-Presidente e que Vítor Barros sempre fez um bom trabalho. “Se tivesse havido eleições legais dentro daquilo que se estava a propor, cada um apresentava as suas listas e os sócios decidiam quem ficava e quem não ficava. O que aconteceu aqui, no fundo, que nós temos vindo a presenciar este tempo todo, desde abril, foi um complô autêntico contra o actual presidente e isso nós não podemos concordar. Podem-nos acusar de muita coisa menos de gestão danosa porque para quem conhece a associação sabe o quanto ela evoluiu sempre com o senhor Vítor na presidência, nunca nos faltou nada para os animais, antes pelo contrário.

Leia mais na versão impressa do Jornal N