Economia

Cerca de 80% dos municípios com eficiência financeira “pouco saudável”

 | 

Cerca de 80% dos municípios portugueses fecharam 2018 com uma situação “pouco saudável” em termos de eficácia e eficiência na gestão financeira, segundo o ‘ranking’ global do Anuário Financeiro, liderado por Sintra. Dos 308 municípios portugueses – organizados por dimensão, dos quais 24 definidos como grandes, 98 médios e 186 pequenos -, 245 autarquias (79,5%) obtiveram uma pontuação inferior a 50% da pontuação total do ‘ranking’ (menos 1.000 pontos do total de 2.000 pontos).

Destes, a maioria (159) são de pequena dimensão, seguindo-se 76 médios e 10 grandes. O ‘ranking’ da eficiência financeira inclui 11 indicadores, incluindo o índice da dívida, o peso do passivo e o índice de liquidez.

Os municípios com pontuação inferior a 50% da pontuação total “estarão numa situação pouco saudável do ponto de vista da harmonia dos indicadores selecionados, podendo percecionar-se dificuldades num enquadramento de eficácia e eficiência financeira”, de acordo com o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2018.

“A pontuação máxima registada foi de 1.782 pontos e foi assinalada por Sintra, município de grande dimensão. A segunda maior pontuação foi de 1.756, tendo sido atribuída ao município de Marinha Grande, município de média dimensão”, apurou o Anuário Financeiro, destacando, entre os de pequena dimensão, Ponta do Sol, que teve “1.537 pontos, isto é, 76,9% da pontuação total máxima”.