Economia

SOCN e APCOR fecharam negociações para novo contrato de trabalho da cortiça

 | 

Trabalhadores do escalão profissional mais baixo do sector corticeiro passam a auferir 795€, “o maior aumento salarial do século”

Na passada sexta-feira, 20 de setembro, uma fonte sindical do sector revelou que a revisão do contrato coletivo de trabalho da indústria corticeira já está concluída, depois de o Governo ter arbitrado as negociações salariais com a respetiva associação patronal.

Segundo revelou à Lusa, fonte da Federação Portuguesa dos Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro (FEVICCOM), que exigia um aumento remuneratório mínimo de 20 euros mensais para todos os trabalhadores, o novo acordo reflete subidas entre os 17,85 para os encarregados gerais da categoria IX e os 19,50 euros para a generalidade do pessoal operário afeto à categoria XIV. Em termos práticos, isto significa que os primeiros ficam agora com um ordenado-base de 867,82 euros, enquanto os trabalhadores do escalão profissional mais baixo passam a auferir 795,01 euros por mês. Aprendizes com idades entre os 16 e 18 anos, por sua vez, irão ganhar 700 a 725 euros mensais.

Leia mais na edição impressa do Jornal N.