Entrevista

As caras “desconhecidas” da ação humanitária dos Bombeiros da Feira

 | 

Manuel Marques foi distinguido com a Medalha de Dedicação e Altruísmo pelos Bombeiros Voluntários da Feira, no entanto reconhece que “podemos ter muitos anos de casa e não merecer esta distinção”

No passado dia 1 de maio, a par do 98º aniversário dos Bombeiros Voluntários da Feira, foram entregues algumas distinções e medalhas de mérito aos elementos desta Associação Humanitária. Assim, o Jornal N decidiu esta semana e durante as próximas, entrevistar alguns dos elementos condecorados e destacados pela sua “dedicação, assiduidade e comportamento exemplar” nesta corporação de bombeiros voluntários.

 Com tal em vista, o entrevistado desta semana, Manuel Marques, de 53 anos de idade, recebeu a Medalha de Dedicação e Altruísmo pelos 30 anos de assiduidade, dedicação, altruísmo e conduta exemplar à causa dos Bombeiros Portugueses. “A condecoração acontece sob proposta do Comandante, do Comando e da Associação dos Bombeiros que entenderam que o trajeto do chefe Manuel Marques é merecedor desse reconhecimento público”, explicou Jorge Coelho, Comandante dos Bombeiros Voluntários da Feira. “É uma forma de materializarmos e, de certa forma, agradecer toda a sua dedicação e assiduidade ao longo de todos estes anos”, referiu.

O que o levou a ser bombeiro?

Manuel Marques (M.M.): É uma história com muitos anos. A rua onde vivo chama-se Rua dos Bombeiros Voluntários que era muito próxima do quartel, naquela altura. E, portanto, existiam muitas pessoas que eram bombeiras e, desde miúdo, sempre tive este gosto pelos bombeiros. Apesar de não ter ninguém na família que esteja relacionado com os bombeiros, comecei a frequentar as instalações do quartel e… a proximidade e o convívio permitiram esta aproximação.

 

Leia mais na edição impressa do Jornal N.