Freguesias

CGD de Rio Meão no Escuro

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

A Assembleia de Freguesias de Rio Meão realizou, na passada sexta-feira, dia 22, uma assembleia popular contra o encerramento do balcão da Caixa Geral de Depósitos (CGD) na freguesia.
Contactado pelo Jornal N Mário Reis, presidente da junta afirmou que “ já existem indicações de Lisboa que o balcão irá encerrar no próximo dia 30 de Junho”.
“Não faço ideia dos critérios para o encerramento, e nós não fomos informados com a devida antecedência porque até hoje não temos uma informação formal do encerramento. Apenas recebemos uma carta no dia 19 de Junho, datada de 28 de maio, de Lisboa, assinada pelo gerente do balcão da Caixa Geral de Depósitos de Santa Maria de Lamas, balcão para onde serão encaminhados, futuramente, os clientes de Rio Meão, explica.
Também Amadeu Albergaria, deputado pelo PSD – Aveiro, manifestou preocupação pelo “eventual” encerramento da CGD em Rio Meão numa pergunta dirigida ao Ministério das Finanças onde pôs em causa o critério, considerando o universo de clientes, atuais e potenciais, servidos por aquela agência.
“A confirmar-se a proposta de encerramento do balcão de Rio Meão, cuja possibilidade está a provocar alarme em autarcas e população, importa discutir os critérios que estarão na sua base, porquanto a freguesia integra um dos concelhos mais exportadores do país e faz parte de um eixo industrial que emprega milhares de trabalhadores”, escreveu o deputado , sustentando que aquela agência não serve apenas rio Meão mas também freguesias vizinhas com Ovar e Espinho.
“Não havendo uma agência nas imediações não se compreende a eventual proposta de encerramento” – vincou Albergaria na pergunta remetida ao Ministério das Finanças.
Mário Reis confirma as preocupações do deputado. “O balcão para onde vão ser transferidos os clientes de Rio Meão fica em Santa Maria de Lamas e hoje sinto muito a perda deste serviço porque as pessoas mais idosas não têm, por exemplo, mobilidade para se deslocarem a Lamas. Os clientes vão ser encaminhados parta Lamas a partir de dia 2, mas podem escolher qualquer outro balcão que queiram. Este balcão está na freguesia há mais de trinta anos e é uma perda irreparável para a freguesia”.

Leia mais na edição impressa.