Freguesias

Movimento feminista quer demissão do presidente dos Bombeiros de Lourosa

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Movimento feminista aveirense juntou-se ao corpo ativo dos Bombeiros de Lourosa ao afirmar que Joaquim Cardoso [presidente da Associação Humanitária] deve ser afastado por “um ato oposto ao humanitarismo”

No passado dia 8 de abril, o movimento feminista de Aveiro, “Juntas”, defendeu que o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lourosa, deve ser demitido na sequência da condenação por “importunação sexual” a uma colaboradora que estava sujeita, por lei, a horas de serviço comunitário na associação.

À Agência Lusa, os operacionais acusaram o presidente Joaquim Cardoso com vários argumentos demonstrativos da “má gestão” para além do assédio sexual. No entanto, o “Juntas” considerou legítima a sua demissão apenas pela sentença de importunação sexual. Ao considerar que este caso “ocorreu numa relação de poder”, o movimento defendeu que “Joaquim Cardoso não tem condições para continuar nesse cargo e apela a que todos os sócios da Associação Humanitária ativem os mecanismos necessários à eleição de um novo presidente”. ”Uma Associação Humanitária não pode ser presidida por quem abusa de mulheres em condições de fragilidade”, uma vez que esta atitude transparece “precisamente um ato oposto ao humanitarismo”, argumentou o movimento feminista.

 

Leia mais na edição impressa do Jornal N.