Local

Loop dá espaço à apresentação de novos trabalhos e experiências

 | 

O festival pioneiro no acolhimento de criações de danças urbanas em palco – que acontece nos dias 8, 9 e 10 de novembro – apresenta este ano uma nova secção, Loop Box, dedicada inteiramente a novos artistas. Há também estreias, workshops, talks, jams e uma visita guiada pelos bastidores do Cineteatro onde tudo acontece.

São 11 peças artísticas, com mais de 35 intérpretes, bailarinos e músicos, que correspondem às visões de 15 coreógrafos oriundos de Portugal e Espanha, o que reserva a terceira edição do Loop – Festival de Danças Urbanas.

            Um conceito pioneiro, no acolhimento e exposição de criações de danças urbanas em palco, que tem lugar em Santa Maria da Feira nos dias 8, 9 e 10 de novembro, começando na sexta-feira, às 21h00, com PLAY – Uma nova forma de dizer “Olá”, e concluindo com STOP – “Até para o ano!”, duas atividades surpresa a acontecer no Imaginarius Centro de Criação. O principal segmento do festival traz a PALCO, no dia 9 de novembro, às 22h00, uma estreia absoluta, ‘Ancestralidade’, de Lúcia Afonso, que aborda a importância de reverenciar os antepassados; assim como as criações ‘Rubble King’, de Duarte Valadares (o retrato de uma criatura-arquétipo com capacidade de atenção reduzida) e ‘Música e Movimento’, de Max Oliveira (camaradas que sentem, divertem, expressam e viajam em liberdade num universo de música e movimento). Ainda no mesmo dia, Héctor Plaza e Agnés Sales, diretamente de Barcelona, apresentam a estreia nacional ‘Blue Monday’, que fala das relações humanas e de como os seres humanos precisam e dependem delas. A complementar a noite, estarão presentes os alunos da All About Dance de Santa Maria da Feira e, desde Barcelos, o grupo Funky Rooster da Nico Dance Studio.