Local

Quando a política não escolhe idade

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

São jovens, querem fazer a diferença e são candidatos nas eleições autárquicas do próximo dia 1 de Outubro. Embora estejam a dar os primeiros passos no universo político, não os subestime: eles trazem propostas, ideias para as suas freguesias, vontade de melhorar a vida das pessoas, num exercício em que a idade e a experiência são substituídas pela irreverência e espontaneidade da juventude.
O Jornal N conversou com Bianca Almeida, candidata à freguesia de Mozelos pelo Bloco de Esquerda; Renato Guedes, candidato à união de freguesias de Canedo, Vale e Vila Maior pelo CDS e Daniel Valente, candidato à freguesia de Miheirós de Poiares pelo PNR, para conhecer o que estes jovens, alguns deles ainda estudantes, trazem na bagagem para o próximo acto eleitoral.

 

“Somos jovens e
podemos moldar-nos, não temos vícios”

Aos 20 anos, Bianca Almeida é estudante de Antropologia na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Encontra-se envolvida em várias vertentes do activismo, nomeadamente na luta pelos direitos de pessoas LGBT. Aos poucos, os primeiros ideais começavam a ganhar forma e o primeiro contacto político da estudante surge “de forma precoce”. “Tudo começou de forma precoce, e ainda bem que sim, visto que com o passar do tempo tenho moldado pontos de vista políticos e sociais. A minha história não é muito longa. Aos 15 anos, comecei a sentir que a informação que nos davam na escola era quase nenhuma. Basicamente, acabávamos por ser moldados por aquilo em que o professor acreditava. Li sobre os vários partidos e manifestos e senti que era com o Bloco de Esquerda que me relacionava mais” – afirma a candidata.

Leia mais na edição em papel do Jornal N