Política

Presidente do CDS de Vale de Cambra paga 5.000 euros para não ir a julgamento

 | 

O presidente da concelhia do CDS de Vale de Cambra, Pedro Magalhães, aceitou pagar cinco mil euros para obter a suspensão de um processo em que estava acusado de ameaçar de morte um deputado municipal eleito pelo seu partido. O acordo foi alcançado na passada segunda-feira, 21 de Outubro, no Tribunal da Feira, no início do debate instrutório do processo que tem como assistente Albano de Oliveira Braga, deputado municipal e ex-adjunto do presidente da Câmara de Vale de Cambra.

Pedro Magalhães, atual Secretário Geral Adjunto do CDS-PP, que tinha requerido a abertura de instrução para evitar o julgamento, viu a suspensão provisória do processo pelo período de seis meses deferida pela juíza de instrução criminal da Feira. Além de pagar uma indemnização de 5.000 euros ao ofendido, o arguido vai ter de publicar um pedido formal de desculpas em dois jornais de região, onde se retrata das palavras de “cariz injurioso e ameaçatório” proferidas.