Local

R. Câmara: Executivo adia tomada de posição sobre Milheirós

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Na passada segunda-feira, o executivo camarário voltou a reunir-se, em contexto de Reunião de Câmara. A possível desanexação de Milheirós de Poiares do concelho de Santa Maria da Feira, tema ainda “quente” da semana anterior, foi um dos polos de discussão centrais da assembleia. O Presidente da Câmara Municipal, Emídio Sousa, chegaria mesmo a apresentar uma proposta de oposição ao Projecto-lei assinado por bloquistas e socialistas ao restante executivo. Entre várias premissas, o documento previa que a Câmara Municipal se opusesse à intenção de transferência para o município de São João da Madeira, reafirma-se a “unidade concelhia”, desenvolve-se “todas as medias necessárias” com vista à rejeição do decreto e desse conhecimento das deliberações aos restantes partidos políticos. A discussão acabaria por ser adiada para uma próxima Reunião, depois dos vereadores do Partido Socialista se terem recusado a votar a proposta, ao alegarem que o documento não tinha sido dado a conhecer, como mandam as normas do regimento.
Entre as várias alíneas que compõem a proposta apresentada, Emídio Sousa afirma que os pressupostos apresentados no Projecto-lei sujeito a aprovação são “imprecisos”, e alguns até “falsos”, sendo que, na globalidade, “todo o projecto é atentatório da autonomia do Poder Local em Portugal” – lê-se no documento. O edil chega mesmo a frisar que este será um acto de “ofensa gratuita” a Santa Maria da Feira. “Uma ofensa tanto mais grave, porque unicamente dirigida a este município, já que a proposta em causa não se insere em nenhuma reforma territorial administrativa de âmbito nacional, tratando-se antes de uma tentativa avulsa, apenas enquadrável se perspectivada num quadro de prepotência e influência partidária” – afirma o Presidente da Câmara, na proposta. O documento menciona ainda o “total desrespeito” manifestado pelo Partido Socialista e pelo Bloco de Esquerda em relação à população de Milheirós de Poiares, sustentando a acusação com a “esmagadora” vitória dos partidos que, durante a sua campanha nas Autárquicas do ano transacto, declararam a “defesa da unidade” do concelho (PSD, CDU, CDS e PNR). “A população de Milheirós de Poiares expressou, no local certo – as urnas – e no tempo certo – as eleições – a sua real intenção: manter a unidade do concelho de Santa Maria da Feira” – afirma, em comunicado.

Leia mais na edição impressa do Jornal N.