Local

António Bastos acusa Amadeu Albergaria de “trazer ódio” para a Feira

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Na Reunião de Câmara de 7 de Maio, António Bastos referiu-se à conferência de imprensa que Emídio Sousa deu a propósito de Milheirós de Poiares, acusando o edil de promover o confronto com S. João da Madeira. “Lamento que o senhor presidente tenha utilizado um tom de ódio, porque esse tom não deve existir, a mim parece-me que é o senhor presidente que está a fomentar a divisão” – disse.

O vereador socialista continuou a sua exposição sublinhando que também é contra a inclusão de Milheirós de Poiares em São João da Madeira. “S. João da Madeira já se mostrou interessado em integrar Milheirós de Poiares. Sabendo disto, também não entendo a razão pela qual foi a uma conferência de imprensa falar de uma divisão” – referiu.

“Sabemos que João Almeida, do CDS, está empenhado, Susana Lamas, do PSD, está interessadíssima na integração. Pedro Nuno Santos não foge à regra, assim como Moisés Ferreira. São quatro e estão todos interessados em que Milheirós passe para São João da Madeira” – acusou o vereador socialista.

António Bastos considerou que “a suspeição foi lançada pelo deputado Amadeu Albergaria”. “O deputado é que anda pelos corredores a transportar para Santa Maria da Feira a situação que vai levar ao ódio” – afirmou.

“Não tenha dúvidas que lutarei até à última, com muita energia por Milheirós de Poiares” – avisou Emídio Sousa. “O que disse na conferência de imprensa é que a posição de Pedro Nuno santos no Governo é forte e que preferia que usasse essa a energia para a Linha do Vouga, do que para fomentar o ódio entre os municípios. Tenho uma boa relação com S. João da Madeira, e quero ter boas relações com S. João da Madeira, mas se isto vier a acontecer vai inquinar as relações irremediavelmente” – adiantou.

O presidente da Câmara fez ainda um desabafo sobre as suas comunicações: “acho incrível que as pessoas me digam o que acham que devo ou não dizer. Eu assumo os meus actos” – sublinhou.

 

Leia mais na edição impressa do Jornal N.