Local

Estudo aponta “impacto positivo” das rolhas de cortiça da Amorim

 | 

Rolhas de cortiça natural e rolhas de espumante apresentam “impacto positivo” na regulação do clima, segundo estudo da consultora EY

As rolhas de cortiça natural e as rolhas de espumante, dois dos principais produtos da indústria corticeira, têm um impacto positivo na regulação do clima, segundo um estudo da consultora EY, divulgado na passada quinta-feira, 9 de janeiro.

Apresentado em Santa Maria da Feira durante um evento comemorativo dos 150 anos do grupo Amorim, que se assinalam em 2020, o estudo analisou o ciclo de vida das rolhas de cortiça da Corticeira Amorim e confirmou, segundo destaca a empresa, a “pegada de carbono negativa das rolhas de cortiça Amorim”. Encomendado pela Amorim para “avaliar os impactos associados ao processo produtivo e obter dados que permitam melhorar o seu desempenho ambiental”, o trabalho apurou, através de um cálculo detalhado para a pegada de carbono da rolha de cortiça natural, “um balanço de carbono com um impacto positivo na regulação do clima de -5,7 gramas (g) de CO2eq/rolha”.

Segundo destaca, “numa altura em que a proteção do ambiente é mais importante do que nunca, as credenciais de sustentabilidade das rolhas de cortiça são cada vez mais valorizadas pelos consumidores nacionais e internacionais, a que se junta a reconhecida capacidade técnica superior da cortiça em termos de salvaguarda da qualidade dos vinhos”.

Leia mais na edição impressa do Jornal N.