Renault Clio TCe 100

Líder “puxa dos galões” para se manter no topo

Chegou em 1990 para ocupar o lugar do Renault 5, 30 anos depois é um dos modelos mais emblemáticos da Renault. Com mais de quinze milhões de unidades comercializadas, o Clio é um daqueles carros que todos conhecemos. A quinta geração mantem alguns pormenores de design, mas dá um enorme salto qualitativo no interior e no capítulo tecnológico.

Basta olhar para as tabelas de vendas de automóveis em Portugal na última década para facilmente percebemos a importância do Clio. Nos últimos 7 anos foi sempre o modelo mais vendido, em 2019, os portugueses compraram 10 649 unidades do utilitário francês. Muito provavelmente o nosso leitor até já foi proprietário de um, ou então conhece alguém que tenha ou já teve um Clio.

Olhando para as fotos, a quinta geração do Clio, não parece muito diferente. Mas, se olharmos com alguma atenção torna-se mais fácil perceber que não um existe nenhum painel de carroçaria igual. Por outras palavras, a Renault optou por não mexer em demasia numa fórmula que tem dado resultados.

Mais largo, mas mais curto e mais baixo do que a IV geração, este Clio V tem naturalmente alguns detalhes comuns a outros modelos da marca, nomeadamente os grupos óticos 100% LED com a assinatura em forma de C, num modelo que globalmente tem uma imagem capaz de agradar a todos os tipos de público.

Apesar de mais curto no comprimento, o espaço no habitáculo é agora mais amplo, graças aos bancos mais finos, à otimizada coluna da direção e ao redesenhado tablier. O tejadilho mais baixo nos lugares traseiros não prejudica o espaço para a cabeça, mas no acesso ao interior é preciso ter atenção à cabeça.

Nota para a mala agora com uma capacidade de 391 litros, contas feitas, são mais 61 litros. O piso mais fundo desta permite uma melhor arrumação de objetos de maior tamanho.

Além disso, no habitáculo, a qualidade dos materiais é claramente superior, destacando-se os plásticos macios no tablier, mas também nas portas e na consola central, pondo o Clio ao nível do Mégane. Outros dos elementos presentes no novo Clio e que é herdado dos segmentos superiores é a iluminação personalizável em termos de cor na consola central e nos painéis das portas, que confere um visual mais moderno ao utilitário francês.

A posição de condução é boa e facilmente encontrada, passando, condutor e passageiro a disporem dos mais recentes sistemas multimédia e de conectividade, alguns deles em estreia. Entre eles está o ecrã tátil de 9,3“, que inclui os sistemas de navegação e Easy-Link, com diversas possibilidades de ligação a dispositivos móveis, através dos sistemas Android Auto, Apple CarPlay, Bluetooth ou cabo. O quadrante é totalmente digital, nele encontramos todas as informações úteis para a condução. A distância de segurança para o carro da frente, a transposição involuntária da faixa, consumos, modos de condução, etc. É também possível personalizar o mesmo de acordo com os gostos de cada um.

A versão RS Line, cedida pelo concessionário Entreposto A. Fontes conta com um visual um pouco mais desportivo, mas também com o motor de 1 litro com 100 cv de potencia e 160 Nm de binário. Com uma boa capacidade de resposta, este motor é acima de tudo eficaz nos consumos e emissões. Num percurso total de cerca de 500 km fizemos uma média de 5,4 l/100 km, um percurso com muita autoestrada e alguma estrada nacional. Um valor excelente, tendo em conta o facto de estarem a bordo do Clio três adultos e uma criança, e de termos a nosso dispor uma caixa de cinco velocidades.

Com 3 modos (Eco, Sport e MySense) de condução disponíveis (atuam na cartografia do motor, na direção, na iluminação ambiente e na configuração do ecrã digital) o novo Clio é dinamicamente muito competente. Os movimentos da carroçaria (a plataforma é nova) são previsíveis e a direção é direta quanto baste. A velocidade máxima anunciada é de 187 km/h.  Nota ainda para o conforto a bordo, e para o trabalho feito no campo da insonorização.

Com a linha de equipamento RS Line e com esta motorização a gasolina de 100 cv, o Renault Clio tem um preço a rondar os 19.000 euros. Com este mesmo motor, mas no nível de equipamento Intens o valor desce para 17.000 euros aproximadamente. Com campanhas de financiamento e entrega de viatura para abate estes valores podem descer alguns milhares de euros.

Como não podia deixar de ser, este Clio é o melhor de sempre. Mantendo aspetos já de si muitos bons, como o design, o conforto e o comportamento, o Clio V evolui muito nos pontos menos conseguidos. Não será, pois, de estranhar que continue no topo da tabela de vendas nacional. O Clio V está disponível para ensaio no concessionário Entreposto A.Fontes em Santa Maria da Feira e Aveiro.

https://www.facebook.com/EntrepostoAuto/

 

 

 

 

 

 

 

PUB

PUBLICAÇÕES RECENTES