AJM/ FC Porto deixa reparos à Federação – “tem de haver campeão nacional”

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

José Moreira, dirigente da assinala que “a decisão da Federação mostra irregularidade e falta de coerência”

A Federação Portuguesa de Voleibol deu por terminada as competições nacionais da época 2019/2020 do escalão sénior, não atribuindo qualquer título de campeão. A equipa sénior feminina AJM/FC Porto faz parte do campeonato nacional, da primeira divisão. Com um total de 22 jogos realizados, sendo que 20 são vitórias e apenas duas derrotas. Além da prestação do campeonato nacional, a equipa da AJM/FC Porto conquistou a Taça de Portugal e a Supertaça. José Moreira, fundador da Academia José Moreira e uma das 24 lendas do Futebol Clube do Porto faz um balanço do primeiro ano da ligação da Academia com o clube azul e branco, do jogo no Dragão Arena e como vão encarar a próxima temporada.

A Academia José Moreira tem seis anos. Ao longo destes seis anos, José Moreira foi sempre desafiado. “Ao fazer esta academia tive sempre presente, dois grandes objectivos. Um deles é mostrar ao voleibol nacional como se ganham tantos títulos nacionais, regionais, taças e supertaças em tão pouco tempo, sendo um clube formativo. O outro objectivo era a parceria com o FC Porto. Foi a bom porto e conseguimos conciliar estes objectivos, com uma grande parceria com o Dr. Pedro Violas que, além de pertencer à administração do Porto é um dos patrocinadores, desde o primeiro dia da abertura, desta academia,” revela José Moreira.

AJM/ FC Porto critica a decisão da Federação

Os clubes da primeira divisão foram ouvidos pela Federação onde deram a sua opinião a várias perguntas feitas. Para José Moreira a decisão mais acertada era a existência de um campeão. “Tem de haver campeão nacional. A fase anterior foi disputada até ao fim e, a nossa equipa saiu com oito pontos de avanço relativamente ao segundo classificado. Se fosse atribuído o campeão pela fase anterior, nós podíamos ser os campeões nacionais. Outra das hipóteses que sugeri à Federação, seria em Setembro dar continuidade ao play-off final mas com outras regras. Devia ser definido um campeão, não só no voleibol mas também nas outras modalidades”, afirma o antigo jogador de voleibol. A decisão tomada pela Federação é errada do ponto de vista de José Moreira. “A decisão mostra irregularidade e falta de coerência. Acaba por ser uma equipa de interesses para alguns clubes, que estão inseridos em determinadas entidades e, fazem força para que os clubes onde eles estão inseridos consigam atingir os objectivos. Se vão existir jogos em Setembro para subidas, também podia haver jogos para atribuição de títulos. Claro que a decisão não ia agradar a todos, mas não pode ser uma decisão a meio termo”, declara José Moreira.

A decisão tomada para os campeonatos de formação também não foi ao encontro da vontade do fundador da AJM. “Tal como o campeonato sénior, a formação também devia ter um campeão. A atribuição nos outros escalões acaba por ser um pouco mais complicada, mas pensada, poderia ser feita. Sempre com as precauções necessárias”, admite.

Com a interrupção de treinos e jogos, é natural que os prejuízos surjam. “Os prejuízos são gerais, não são só para a nossa Academia mas, também para outros clubes e empresas. Mas sem dúvida, que esta paragem traz um prejuízo muito grande porque os clubes investiram na época desportiva. Os apoios nunca serão suficientes. Cumprimos todas as promessas com as jogadoras e com os treinadores, a nível financeiro”, declara o fundador da academia. A academia está fechada desde o dia 11 de Março. As jogadoras da equipa sénior continuam a trabalhar a partir de casa com a ajuda dos treinadores com um plano elaborado por eles.

Balanço positivo da  parceria com o FC Porto

Foi a 16 de Fevereiro, que a equipa sénior de voleibol feminino AJM/FC Porto jogou pela primeira vez no Dragão Arena com casa cheia. A equipa azul e branca levou a vitória por 3-0, num jogo relativo à 20ª jornada contra o Vilacondense. A lenda do Porto, José Moreira classifica jogar no Dragão Arena como um caso inédito. “Para mim, pessoalmente, foi um orgulho estar lá. Ter uma equipa com este nível a jogar, no Dragão Arena, foi muito benéfico e muito bom. E, eventualmente, no futuro darmos seguimento a este projecto. Foi com muito orgulho e satisfação que pisamos o Dragão Arena.”

“O primeiro ano de ligação da Academia José Moreira com o Futebol Clube do Porto foi muito positivo”, afirma José Moreira. “Ganhamos uma Supertaça, uma Taça de Portugal, consegue-se estar nos escalões de formação nas fases finais, quer em sub-21, juniores e juvenis. Os treinos e o sentido profissional que colocamos foi muito bom. As pessoas cumpriram e procuraram acompanhar esta evolução. Tivemos uma procura muito grande que levou a um aumento de atletas de mais de 60%”, explica.

Objectivos para  a próxima época

A próxima época começa a ser preparada. “Não podemos estar parados, temos que olhar para o futuro. E o futuro é preparar a próxima época. Já temos equipa preparada para Setembro. O nosso plantel está quase fechado e preparado para a próxima época e, com o objectivo de fazer sempre melhor.” José Moreira afirma que com a decisão da Federação, o clube está numa fase de reflexão com tudo o que se passou. Diz-se aborrecido, porque, diz “pensava que tinha líderes com maior capacidade de resolução e decisão”. Além da Taça de Portugal e da Supertaça, um dos objectivos do clube passava pela conquista do campeonato nacional, mas que não foi possível derivado da decisão da Federação Portuguesa de Voleibol. “Gostaríamos de ser, um dos primeiros representantes no concelho de Santa Maria da Feira e ter o apoio da Câmara Municipal, para a nossa participação nas provas europeias. Se tivermos esses apoios, iremos participar nas provas com uma grande equipa e um grande grupo de trabalho. Sempre com muito rigor, sentido profissional e paixão pelo voleibol e por aquilo que representamos”, conclui José Moreira.