Clube Duas Rodas de Lourosa promove passeios e eventos sociais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O Clube Duas Rodas, de Lourosa, nasceu há cerca de cinco anos. Um grupo de amigos juntou-se para um passeio por Lourosa e da ideia à prática não demorou muito a surgir a associação. De então para cá, o Duas Rodas de Lourosa participa em diferentes passeios (ou desfiles) e realiza eventos de apoio social.

Há cerca de cinco anos, alguns amigos decidiram promover um passeio por ruas de Lourosa. O evento chamou a atenção e Armando Teixeira, presidente da Junta de Freguesia, instou esse grupo de amigos a avançar para a constituição de um clube. A Junta cedeu um espaço na antiga escola primária de Vendas Novas e nasceu o Duas Rodas de Lourosa.

São sócios-fundadores António Oliveira [Pedro], Albino Oliveira [Pedro], Manuel Soares [Neca], Américo Grilo e Carlos. Há cerca de cinco anos, um desfile por Lourosa juntou estes amigos e outros mais. Hoje, pertencem ao Duas Rodas de Lourosa mais de 150 associados. Os sócios do clube são de Lourosa, de outras freguesias de Santa Maria da Feira e ainda de concelhos vizinhos.

António Oliveira [Pedro] é o actual presidente da Direcção do Duas Rodas de Lourosa. “Participamos em diversos desfiles ou concentrações. Por exemplo, a mais recente foi a nossa participação na prova ‘Nacional 2’ de Chaves a Faro no período alargado do 10 de Junho”. As outras actividades do clube passam pelo aniversário – em Setembro – e ainda por eventos de cariz social em escolas e em outros locais. Habitualmente, o clube participa nas conhecidas concentrações de Faro e de Góis.

Pode ser motociclista quem “tiver espírito de responsabilidade e de aventura também”, assinala António Oliveira. “Anda-se na estrada à chuva, ao frio, ao vento, ao sol”. E as viagens fazem-se de Norte a Sul do País. O futuro poderá reservar uma ia ao Norte de Espanha, “mas nada está decidido”.

O Duas Rodas de Lourosa vive de parcos recursos financeiros. Os associados pagam uma quotização baixa que serve sobretudo para custear pequenos presentes que a colectividade oferece nos eventos que organiza. O estado de emergência proclamado em Março último e os efeitos imediatos da pandemia fizeram parar a actividade do Duas Rodas de Lourosa. Lentamente, a colectividade começa a ‘emergir’, com participações em pequenas concentrações.

Em Portugal, a Federação Portuguesa de Motociclismo nasceu em 1990, mas há relatos de competições desde o início do século XX. As duas mais reputadas concentrações de motos são as de Faro e de Góis.

Eis alguns dos principais termos usados no motociclismo: motociclista – é quem conduz um motociclo por qualquer razão, profissional ou de lazer; motard – termo aplicado a quem tem especial apreço por andar de mota e juntar-se em convívios e concentrações; mototurista – termo usado para quem utiliza o motociclo como meio de viagem; piloto – desportista profissional que conduz um motociclo em corridas; motoqueiro – expressão popular, utilizada como gíria, mas de forma depreciativa.

Motociclismo é tido como um conceito de viagem, com propósito e duração, cujo meio de transporte é a moto, e caracteriza-se essencialmente pelo espírito de aventura, liberdade e descoberta.