Marcelo Silva é o melhor árbitro da AFA

De acordo com a avaliação efetuada pela Associação de Futebol de Aveiro (AFA), foi divulgada a listagem com a classificação dos árbitros do distrito, destacando-se a categoria C5, categoria principal da classificação aveirense.

Na categoria C5 ficou Marcelo Cunha Silva, de Rio Meão, que no ano transato se classificou na quarta posição, é o primeiro da lista, enquanto que na segunda posição encontra-se Carlos Manuel Peito e Silva de Argoncilhe, que na época de 2020/2021 ficou em quinto.

Os restantes árbitros classificados na categoria C5 foram: Rui Pedro Costa Moreira; Ricardo Jorge Silva Santos Correia; Fábio Mota Silva; Luís Manuel Ribeiro Bastos; Tiago Miguel da Silva Fernandes; Hélder Filipe Pereira Resende; João Pedro Matos Silva; Pedro Miguel Oliveira Ribeiro e Nuno Alexandre Brás Vieira.

As árbitras classificadas com categoria C5F foram: Nádia Raquel Rego Faria e Jéssica Filipa Silva Robalinho.

Na categoria C5B os dez primeiros foram Fábio Sérgio Alves Miranda, Eunice Cristina da Silva Mortágua, Renato Feliciano Gomes Oliveira, António Manuel Assunção Gomes, Joel Fernando Pinto Vieira de Sousa, Carlos Adelino Henriques Mendes, Humberto Marques Coelho, Ricardo Alexandre Silva Henriques Pinho,  Luís Miguel Rodrigues Guimarães e Vasco Tiago Sousa Alves.

Na listagem de árbitros assistentes ficaram classificados nos dez primeiros lugares Alexandre Pontes Ferreira, Alcino Ferreira Oliveira Soeira, Jóni Pereira da Mota, João Filipe Fernandes Henriques, Marcelo da Mota Adriano, Humberto Joaquim Silva Pereira, Daniel Valente Dos Santos, Renato Sousa Monteiro, Jorge Manuel Carvalho Ferreira da Silva e Pedro Miguel Silva Freitas.

No âmbito do disposto no regulamento do conselho de arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro, para efeitos classificativos, todos os árbitros têm de realizar três provas físicas e três testes escritos sobre Leis de Jogo e Regulamentos. O apuramento da classificação final dos árbitros é determinado por: 1. Avaliação de desempenho em competição; 2. Pontuação das provas escritas e físicas; 3. Bonificações; 4. Penalizações.

A inexistência de elementos classificativos recolhidos durante a época, para apuramento da classificação final, determinará a baixa de categoria.