Café Ricardo encerra atividade após 38 anos de serviço

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Localizado na freguesia de Paços de Brandão, o Café Ricardo foi uma das vítimas das repercussões do impacto económico e comercial que a pandemia da Covid-19 originou. O café e restaurante brandoense, que contava já com 38 anos de existência, encerrou na passada terça-feira, dia 12 maio. Joaquim Castro, dono do referido estabelecimento, de 61 anos, explica que tentou manter as portas abertas e implementou ainda a solução do serviço de take-away. No entanto, “o medo” pessoal e a suspensão de várias atividades apreciadas pela clientela deste espaço, como o caso do futebol, conduziram a uma diminuição das receitas e ao consequente encerramento.

Dado o encerramento do Café Ricardo, que motivos o levaram a optar por esta decisão?

O café já tinha 38 anos de existência. Com a declaração do estado de emergência, eu ainda quis continuar a trabalhar e andamos assim durante alguns dias, mas depois a GNR veio notificar-me, disseram que não podia estar aberto e, entretanto, optei por encerrar o restaurante. Tenho 61 anos e tenho também medo pela minha saúde; o futebol parou e muitos clientes meus iam lá por isso, mas agora nem isso podem ver.

Todavia, é do conhecimento da população local que apostou numa solução a curto prazo, como foi o caso do serviço de take-away…

Sim, é verdade. Tive o serviço take-away, funcionava por atendimento telefónico e ia fazendo algumas refeições. Por exemplo, se alguém ligasse a pedir uma francesinha, eu fazia, mas acabei por encerrar porque não tinha muita saída, nem demonstrou ser muito rentável.

Nesse caso, não procurou pela possibilidade de ter algum tipo de apoio ao negócio?

Não quis candidatar-me a isso. Tive um conhecido que me disse que conseguia, pelo menos, 25 mil euros, mas teria que dar algumas garantias ao Estado. Acho que mais lá para a frente os problemas iam surgir, acho que não faria sentido e preferi não optar por esse caminho.

Está de acordo com as medidas aplicadas pela Direção-Geral da Saúde ou considera que poderiam ter tido em conta outras situações?

Penso que as medidas aplicadas foram boas e acho que fazem sentido, mas por outro lado há tenha saído prejudicado com isto…

Que considerações finais gostaria de deixar aos seus antigos clientes e à população local?

Há muita gente a perguntar o porquê do encerramento, fico triste e só peço a compreensão de todos os clientes e conhecidos. De momento, já estou a vender os equipamentos e utensílios do restaurante. A área de restauração está muito má atualmente e certamente que as pessoas irão ter medo em deslocar-se aos restaurantes.