“É essencial não entrar em pânico para que o ritmo biológico não fique desregulado”

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Dr. Erpídio Canastro, médico especialista em medicina geral e familiar, em entrevista

Estamos a viver num tempo de pandemia, o que levou a maior parte da população a manter-se em casa, isolada. O tempo passado em casa é superior e, faz com que algumas pessoas percam hábitos alimentares saudáveis. Nesse sentido, o Jornal N, esteve à conversa com o doutor Erpídio Canastro, médico especialista em medicina geral e familiar, que explica quais os alimentos que devem ser ingeridos em maior quantidade, aqueles que devem ser evitados e os cuidados que as pessoas devem ter na lavagem dos alimentos, principalmente nesta fase. Além de ser médico de medicina geral e familiar tem particular interesse na área da obesidade e nos tratamentos da dependência do álcool.

Quais os alimentos que devem ser consumidos de forma a manter uma imunidade alta?

Os alimentos que devemos consumir, devem ser alimentos que contribuam e que estimulem as nossas defesas, aumentando a nossa imunidade. Destacam-se, habitualmente, a laranja, o limão (que deverá ser o seu sumo exprimido e misturado com um pouco de água morna, especialmente em jejum), o kiwi, que é muito rico em vitamina C e a anona. A anona é um dos frutos mais ricos em vitamina C, mas que poucas pessoas comem, porque não é um hábito cultural.

E, por outro lado, quais os alimentos que devem ser evitados?

Devemos evitar hidratos de carbono, sobretudo os de absorção rápida e, que são aqueles que habitualmente comemos muito, ou seja, o arroz, a batata, a massa e o pão. São aqueles alimentos que designamos como farináceos. São produtos culturais que temos hábito de os consumir diariamente. Os hidratos de carbono simples, fazem aumentar exponencialmente a glicose no sangue. Não devemos ingerir alimentos ricos em açúcar.

O que é que as pessoas devem fazer para afastar a reprodução de vírus?

Deveríamos alcalinizar o nosso meio interno para afastar a proliferação de vírus, bactérias e células malignas que, mais tarde vão-se desenvolver em tumores. Estas células, habitualmente necessitam e, gostam para se desenvolverem, de um meio ácido. E, podemos alcalinizar o nosso meio interno, ingerindo verduras, oleaginosas e frutas variadas. As verduras sobretudo as crucíferas, como a couve de bruxelas e a couve-flor, e que não são habitualmente ingeridas pela população.

Uma pessoa que não consuma proteína animal, quais são os alimentos que podem ingerir para a sua substituição?

A proteína vegetal é uma excelente opção para quem não come proteína animal. Esta proteína, vem através dos variadíssimos legumes, crus ou cozidos a vapor, e compensa a não ingestão de proteína animal. Compensar com feijão, grão de bico, fava e ervilhas, que são ricos em proteína e fibra.

Existe algum alimento que deva ser ingerido com alguma regularidade?

O ovo é um alimento por excelência e que deveria ser consumido praticamente uma vez por dia. É dos alimentos mais completos para o ser humano ingerir, diariamente. Muitas vezes tem-se a ideia errada que o ovo, sobretudo a gema, faz mal ao colesterol. Não é pela ingestão do ovo que o colesterol vai aumentar. A gema, inclusive, tem uma série de aminoácidos importantes, dos quais a lecitina (aminoácido essencial para a reconstituição das proteínas).

O que deve ser feito para manter uma boa hidratação?

Essencialmente beber água, com um ph alcalino. Além da água podemos optar por chás ou infusões. O chá verde é muito rico em antioxidantes e, que ajuda a manter a nossa imunidade mais ativa. Devemos evitar tudo o que sejam bebidas açucaradas. O açúcar é um alimento indesejável porque aumenta a proliferação das células malignas.

Derivado ao vírus, hoje são cada vez mais as pessoas que recebem no seu domicílio alimentos. Que cuidados é que as pessoas devem ter?

Devem lavar sempre os alimentos, em água corrente. Nesta fase, de preferência, as pessoas devem descascar os alimentos que têm que ser descascados. Não sabemos, até que ponto, quem manuseia este tipo de alimentos possa ou não ter o vírus.

Em isolamento social, é importante manter horários?

Sim, é importante manter os horários, quer das refeições quer das horas de descanso. Habitualmente devemos fazer três refeições por dia (pequeno almoço, almoço e jantar). Nos mais novos, que têm um metabolismo mais acelerado, fazer um lanche a meio da manhã e da tarde. As pessoas adultas e, que não tenham patologias associadas, é perfeitamente natural fazerem três refeições por dia. Nunca fazer a última refeição, duas horas antes de ir para a cama. Devemos praticar as oito horas de sono na idade adulta, os mais jovens precisarão mais horas para dormir entre 9 horas a 12. Devemos manter o nosso ritmo de refeições e horas de sono.

Quais os cuidados a ter, uma vez que estamos mais sedentários?

As pessoas devem procurar manter uma alimentação equilibrada, não abusar no açúcar e nos doces. A época pascal é propícia a isso, derivado às amêndoas e à regueifa. Evitar a ingestão excessiva de hidratos de carbono de absorção rápida, alimentos fritos e que estão carregados de gorduras prejudiciais para a saúde. As pessoas devem manter-se hidratadas, bebendo dois litros de água, chá ou infusões. A atividade física é essencial para mantermos a nossa saúde.

O que pode ser feito pelas pessoas para que o vírus não se propague ainda mais?

O vírus permanece durante algumas horas em superfícies metálicas, nos teclados dos computares e nos telemóveis e devemos ter um cuidado extremo. O importante na prevenção desta pandemia é, sobretudo, praticarmos o distanciamento social. É a forma mais importante de combate a este vírus. A pessoa colocada em isolamento é aquela que está positiva ao covid-19 e tem que permanecer no mínimo, duas semanas em isolamento e, posteriormente fazer dois testes que têm que dar sequencialmente negativo. As pessoas que estão em quarentena são aquelas que, habitualmente, tiveram algum contacto direto ou indireto com uma pessoa que tenha contraído o vírus. O distanciamento social é aquilo que todos devemos praticar, mantendo-nos em casa, apenas sair para o estritamente necessário.

Por fim, um conselho para a população nesta fase que estamos a atravessar?

Manter um espírito aberto e não entrar em pânico nem em crises de ansiedade. Vamos conseguir ultrapassar esta fase, que está a ser difícil para todos nós. Mas é essencial, não entrarem em pânico porque vão acabar por gerar outros conflitos e fazer com que o ritmo biológico fique desregulado.

“O importante na prevenção desta pandemia é, sobretudo, praticarmos o distanciamento social”