Autarquia feirense já anunciou a identidade gráfica do Imaginarius’21

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Programação deste ano irá contar com espetáculos da edição passada que não se realizaram devido à situação pandémica

No dia 27 de março, data em que se assinalou o Dia Mundial do Teatro, e a dois meses da realização do primeiro momento do Imaginarius’21, a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira divulgou o conceito gráfico do festival de teatro internacional de rua. A Imagem que marca os 20 anos e a 20.ª edição deste Festival  chama a si, através do conjunto de elementos gráficos, o tema principal – “O Mito e A Marca” –, mas também o território e a aposta no conceito misto, digital e presencial.

O conceito gráfico desta edição exalta o tema principal – “O Mito e A Marca” – e acrescenta apontamentos sobre a transição para o digital. A imagem agora apresentada aborda diferentes ideias de Mito inspiradas na própria programação do festival, nomeadamente em projetos como “Orfeo & Majnun”, “Despojos de Babel” e “Laila e Majnum”. “A Marca, que permanece igual, presente e constante nestas 20 edições, remete para o sonho, para a noite, para a imaginação, através das diferentes fases da lua visível no logotipo”, lê-se no comunicado. Este ano, o festival alarga-se, pela primeira vez e num primeiro momento, ao digital, representado, de forma simbólica, através da linguagem informática “0 e 1”.

O Imaginarius’21 apresenta-se, este ano, ao seu público num formato diferente, como a realidade pandémica o exige, em dois momentos distintos. De 27 a 30 de maio, a programação será apresentada num modelo misto, com os espetáculos a decorrer maioritariamente no palco digital, embora com apontamentos controlados na Quinta do Castelo e nos auditórios da Biblioteca Municipal e do Cineteatro António Lamoso. Entre 9 e 12 de setembro, os espetáculos voltam ao seu palco de sempre, o espaço público de Santa Maria da Feira.

O programa da 20.ª edição do Festival Internacional de Teatro de Rua vai ser apresentado publicamente durante o mês de abril, mas sabe-se para já que a programação vai contar com espetáculos da edição passada que não se realizou – um compromisso assumido pela Câmara Municipal da Feira junto dos artistas, no momento em que optou pelo cancelamento da edição devido à COVID-19, tendo inclusive avançado com o pagamento de 50% do valor contratualizado –, e também com projetos resultantes das chamadas públicas.

Foto: Câmara Municipal de Santa Maria da Feira