Câmara avança com medida de apoio aos profissionais dos serviços essenciais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Câmara Municipal prepara três estabelecimentos de ensino para acolher, no máximo, 10 crianças dos profissionais dos serviços essenciais

A Câmara Municipal de Santa Maria da Feira vai a partir de hoje, segunda-feira, disponibilizar três espaços para ocupar os filhos de profissionais de saúde que não tenham retaguarda familiar para cuidar deles.

“Cada escola vai começar por ter capacidade para acolher no máximo 10 crianças até aos 12 anos, no período da 07h30 às 19h00, mas, consoante as necessidades identificadas pelas unidades de saúde, há possibilidade de adaptarmos quer essa lotação, quer o horário de funcionamento”, revelou o Presidente da Câmara Municipal, Emídio Sousa, à Lusa.

Cristina Tenreiro, vereadora do Pelouro da Educação, referiu que a medida resulta da indicação das autoridades locais de que vários médicos, enfermeiros e outros profissionais da área não têm a quem confiar os filhos no período em que os infantários e escolas vão estar encerrados para contenção da propagação da Covid-19. “Há médicos que estão a trabalhar mais de 24 horas consecutivas e não queremos que estejam preocupados com a situação dos filhos quando precisam de estar com a cabeça concentrada no trabalho que têm em mãos. Precisamos de todos ao serviço e isto permitirá que não tenham de ficar eles próprios em casa quando não tiverem cônjuges ou avós que possam cuidar das crianças”, referiu.

O edil salientou que o novo serviço está a ser divulgado pelas unidades de saúde locais, para que essas sinalizem os profissionais com necessidade do respetivo apoio, e que as três escolas envolvidas também irão assegurar as refeições às crianças abrangidas pela medida.

Leia mais na edição impressa do Jornal N.