Câmara comprou 190 computadores e aponta “erro da propaganda” ao Governo Central

O município de Santa Maria da Feira revelou que, para esta fase de aulas à distância, adquiriu mais 190 computadores para garantir condições letivas aos estudantes, que considera que o Governo prejudicou com “um erro gravíssimo de propaganda”. A expressão é do Presidente da Câmara Municipal, Emídio Sousa, perante o investimento que a sua e “outras autarquias” estão a fazer para proporcionar a todos os estudantes condições de igual acesso às tecnologias necessárias para o ensino remoto.

“O Governo preparou isto muito, muito mal. Primeiro, porque em maio ou junho fez um erro gravíssimo de propaganda ao dizer que todas as crianças iam receber um computador em setembro, o que fez com que famílias que até podiam ter adquirido esse equipamento, embora com algum sacrifício, ficassem à espera do Estado, como é natural que acontecesse para pouparem 300 ou 400 euros”, declarou o edil.

No caso específico da Feira, a comunidade educativa do 1.º ao 12.º ano de escolaridade envolve cerca de 4.200 alunos e, desses, 2.501 não dispunham de computador na primeira fase de confinamento, para as aulas a partir de casa. A Câmara Municipal e beneméritos locais reuniram então cerca de 2.015 computadores e ‘tablets’ para empréstimo às famílias que deles não dispunham, assim como 794 ‘kits’ de acesso à Internet e cartão com um ‘plafond’ de dados. Agora, neste novo confinamento com aulas à distância, a lista de carências sinalizadas pelos agrupamentos escolares do município indicava que em falta estavam ainda 697 computadores e 400 ligações de Internet.

 

 

Leia mais na edição de segunda-feira do Jornal N.