Covid-19: Oito estruturas de retaguarda do Norte com taxa de ocupação de 2%

As oito estruturas de retaguarda covid-19 do Norte registam atualmente uma taxa de ocupação de 2% e apenas duas, o Seminário do Bom Pastor, em Valongo, e o Hotel João Paulo II, em Braga, manter-se-ão em funcionamento após março. A informação foi dada na sexta-feira pelo secretário de Estado da Mobilidade e coordenador regional da zona Norte para a covid-19, Eduardo Pinheiro, numa sessão que decorre na Assembleia da República e junta os responsáveis das restantes regiões.

“Hoje a taxa de ocupação no total da região é, felizmente, somente 2%, pelo que está determinada a suspensão de parte destas [estruturas de retaguarda] até ao final do corrente mês de março, mantendo-se por precaução em funcionamento duas estruturas: a de Braga e a do Seminário do Bom Pastor [concelho de Valongo, distrito do Porto]”, disse Eduardo Pinheiro. Em causa estão espaços que acolhem doentes, infetados ou não com o novo coronavírus, em condições de continuar a recuperação fora dos hospitais, mas que não tenham retaguarda ou condições em casa ou nas instituições onde vivem, bem como utentes de lares, ou fruto de outras situações como os chamados casos sociais.

Na região Norte foram criadas oito estruturas: Seminário do Bom Pastor (Valongo), o antigo hospital da Misericórdia de Paços de Ferreira, Pousada da Juventude do Porto, Hotel João Paulo II (Braga), Centro Cultural de Viana do Castelo, Pousada da Juventude de Alijó, Centro Social de Vila Maior (Santa Maria da Feira) e Pousada da Juventude de Bragança. Esta tarde, na Comissão Eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia da doença covid-19 e do processo de recuperação económica e social, Eduardo Pinheiro fez um balanço do trabalho realizado a Norte, tendo revelado que as estruturas de retaguarda “acolheram mais de meio milhar de doentes nos últimos meses”.

 

Leia mais na edição de segunda-feira do Jornal N.