Desagregação da UF de Ovar aprovada por unanimidade

Medida pretende ir ao encontro do interesse das populações das várias freguesias

Foi no passado dia 23 de maio, que a única união de freguesias do concelho de Ovar votou na matéria que discutiu a desagregação das suas quatro localidades, o que a respetiva Junta atribui à ineficácia de gerir com uma só estrutura mais de metade do munícipio, tendo sido esta proposta aprovada por unanimidade.

Dando início à sessão da Assembleia da União de Freguesias de Ovar, São João de Ovar, Arada e São Vicente de Pereira Jusã e com intenção de dar voz aos fregueses que destas União de Freguesias fazem parte, Patrícia Santos avançou “Hoje é um dia muito importante para todos os fregueses das várias freguesias mas especialmente para Arada que desde 2013 lutam pela desagregação, com manifestações de descontentamento a nível nacional. Hoje, em Arada é devolvida a esperança de uma freguesia independente, vê-lhe devolvida a sua identidade e sonha com a efetivação da desagregação.”
Em causa está a União de Freguesias de Ovar, São João de Ovar, Arada e São Vicente de Pereira Jusã. O diploma revoga a legislação na base da reforma administrativa que foi decidida em 2012 e que está em vigor desde as eleições autárquicas de 2013, quando o município de Ovar, no distrito de Aveiro, deixou de ter seis juntas de freguesia para passar a contar com apenas cinco.

A nova lei apenas chegou no ano passado, mas na União das Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente há muito que a reforma de 2012 é contestada. “Vivemos hoje todos nós um momento histórico, um momento de verdadeira mudança, um primeiro passo que se traduz na justiça no direito dos cidadãos a definirem-se o seu futuro. Temos que nos tornar na mudança que queremos ver. A freguesia precisa de um novo dinamismo, de uma nova vontade de idealizar situações com as novas e futuras freguesias”, afirmou o deputado independente, Rui Catalão.

Leia a notícia na íntegra na edição desta semana.