“Tudo o que for para o futuro de Rio Meão terá sempre o meu apoio e a minha colaboração”

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Mário Jorge Reis, presidente da Junta de Freguesia de Rio Meão, em entrevista

Mário Jorge Reis cumpre atualmente o seu terceiro e último mandato nos destinos políticos da freguesia de Rio Meão. Ao longo de 12 anos, o presidente da Junta de Freguesia, natural de Rio Meão, traça um balanço “bastante positivo” dos objetivos a que se propôs, sendo a requalificação viária a prioridade do território que ficou ao seu encargo. Por outro lado, a requalificação da Escola da Viela, a construção da casa mortuária e a ampliação do cemitério são as principais obras que gostaria de ver inauguradas até ao final do seu mandato, embora entenda que “não é essa a condição que interessa”, mas sim que “as obras avancem”. Por fim, o autarca local defende a abertura, a frontalidade e que a freguesia “deve estar sempre em primeiro lugar”.

Quando é que surgiu a oportunidade de se envolver na política?

A partir de uma atividade que exercia na Juventude Atlética de Rio Meão, enquanto presidente e na qual ainda faço parte dos órgãos sociais da associação, como presidente da mesa da Assembleia Geral. Posteriormente, fui convidado para fazer parte da Assembleia de Freguesia, pelo então presidente Ângelo Castro, e foi daí que comecei a envolver-me na política da freguesia.

Uma vez que este se trata do último mandato, quais são as obras mais importantes a concretizar?

Bem, até ao final do mandato temos muita coisa para fazer ainda. Uma das ambições da freguesia, com muitos anos, é a construção da casa mortuária. Convém lembrar a todos que quando aqui cheguei, em 2009, não tínhamos um metro de terreno para realizar esta obra – hoje, temos cerca de 10 mil metros disponíveis na área envolvente. Espero que esta obra, em conjunto com a ampliação do cemitério, avance muito brevemente e os projetos estão todos aprovados nesse sentido. Ao fim de muitos anos conseguimos adquirir 800 metros de terreno, anexo ao cemitério, que servirá para esta ampliação. São obras importantes para a freguesia e quero avançar com elas, porque, para além serem ambições, são uma necessidade.

Leia mais na edição impressa do Jornal N.