Ligação de Paços de Brandão a Santa Maria de Lamas gera insatisfação nos moradores

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Os moradores da Rua da Ponte Nova, que liga Paços de Brandão a Santa Maria de Lamas, alertam para a promessa feita em período de campanha eleitoral, de que a Rua teria um único sentido, assim como estava definido no início da obra.
No entanto, devido ao avanço dos trabalhos que vão ligar as Ruas da Póvoa à Rua do Monte de Cima, o trajecto continua com os dois sentidos e, segundo informações obtidas junto de vários moradores, terá existido um abaixo-assinado promovido por um proprietário de um estabelecimento comercial local, onde era solicitada à Câmara Municipal de Santa Maria da Feira a manutenção dos dois sentidos. Contudo, os restantes moradores e comerciantes não se conformam com a ideia. O mesmo cenário deverá acontecer com a Rua da Relva, que serve também de fio condutor entre a freguesia brandoense e Santa Maria de Lamas, onde também foi prometido que só existiria um sentido. Neste momento, pelas obras que decorrem na zona da Capela da Póvoa e Largo do Cruzeiro, a rua continua com os dois sentidos.
 
Moradores denunciam
“caos” em horas de ponta
e “caça à multa”
“Muitas ruas de Paços de Brandão, no meu entender não têm espaço para dois sentidos de marcha, com passeios de medidas mínimas exigidas e alguns espaços necessários para estacionamento. Onde há algum espaço, prefere-se os passeios largos, a parecerem mais esplanadas que passeios, anulando dessa forma, o espaço para estacionamentos. É isto o que está a acontecer na Rua da Ponte Nova, Largo do Cruzeiro, Rua do Cruzeiro e Rua da Relva” – afirma Lino Ferreira, um dos moradores. Outros residentes referem ainda o “caos” sentido, principalmente nas horas de maior aperto e trânsito, denunciando ainda uma “caça à multa” da qual o local tem sido alvo.
 
“Promessas por cumprir” por parte da Junta de
Freguesia brandoense
Segundo a informação comunicada por Diamantino Luz, outro dos moradores, o munícipe decidiu alertar a Junta de Freguesia depois de ter constatado no decorrer das obras que não iriam existir lugares de estacionamento para os residentes e comércio local. “Perante este cenário, os moradores apreensivos com a situação, solicitaram uma reunião com o senhor presidente da Junta onde foi alertado para a ausência de lugares de estacionamento. Nessa reunião verificamos alguma sensibilidade sobre o assunto por parte do senhor presidente, que nos transmitiu e assegurou de forma convicta que a rua iria ter sentido único. Também no decorrer da campanha das autárquicas foi confirmado a todos os moradores esse facto” – afirma Diamantino Luz. Contudo, tal situação “não se verificou” na reabertura da rua ao tráfego, tendo continuado a existir os dois sentidos.
Os comerciantes locais também demonstraram o seu desagrado com a situação. Manuel Pereira, morador da Rua da Ponte Nova e proprietário do Restaurante Brasão, em Paços de Brandão, alega que a manutenção dos dois sentidos na rua será “prejudicial” não só para o estacionamento dos moradores, mas também para o estacionamento dos seus clientes. “Esta alteração, a do trânsito passar a circular tanto de Lamas para Paços como de Paços para Lamas, será altamente prejudicial quer para os moradores desta rua, quer para os clientes do restaurante, pois com todas estas obras e alterações deixaram de existir lugares de estacionamento” – enuncia.
O comerciante espera que “a promessa feita pelos elementos da Junta de Freguesia, em campanha eleitoral, seja cumprida”. “Espero que a rua da Ponte Nova fique apenas num sentido ascendente (Lamas-Paços) enquanto que a rua da Relva fique num sentido descendente (Paços-Lamas)” – anseia o comerciante.