Pinto Moreira bem encaminhado para garantir um lugar no Parlamento

Ex-presidente da CME ocupa o 12º lugar na lista do círculo eleitoral do Porto

POLÍTICA

Joaquim Pinto Moreira, ex-presidente da Câmara Municipal de Espinho, está de olhos postos no parlamento. O ex-autarca ocupa o 12º lugar na lista de nomes pelo círculo eleitoral do Porto, apesar de ter sido um dos principais apoiantes de Luís Montenegro na sua candidatura à liderança do partido em 2020Em 2019, o PSD elegeu 15 deputados por este círculo.

A aprovação das listas de candidatos aconteceu na passada terça-feira, em Évora, no Conselho Nacional dos sociais-democratas. Os líderes das distritais do PSD de Faro, Cristóvão Norte, de Viseu, Pedro Alves, ou de Coimbra, Paulo Leitão, que apoiaram Paulo Rangel nas últimas diretas, ficaram fora das listas de candidatos a deputados. Outros apoiantes do eurodeputado, como o líder da distrital do Porto, Alberto Machado, e o ex-presidente da concelhia de Gaia, Cancela Moura, foram colocados em lugares não elegíveis, 40.º e 39.º pelo Porto, respetivamente. Fora das listas ficaram também deputados de várias legislaturas como Luís Marques Guedes, Emídio Guerreiro ou Duarte Marques, bem como Ana Miguel dos Santos, que tinha sido cabeça de lista por Aveiro na última legislatura, ou o ex-líder da JSD Pedro Rodrigues. Margarida Balseiro Lopes, que foi em 2019 cabeça de lista por Lisboa, e Álvaro Almeida, oitavo pelo Porto, tornaram público que não tinham intenção de voltar a ser deputados, tal como o antigo líder da distrital de Lisboa Pedro Pinto. Saem também os ‘vices’ da bancada Luís Leite Ramos, que tinha manifestado à sua distrital (Vila Real) indisponibilidade para voltar a ser deputado, Carlos Peixoto ou José Cesário, que tinham sido cabeças de lista em 2019 e não foram convidados a integrar as listas para as legislativas de 30 de janeiro.