“Pretendo devolver a Espinho o título de ‘Rainha da Costa Verde'”

POLÍTICA

 

Os centristas têm em Manuel Fontes o seu representante na conquista da Câmara Municipal de Espinho. O candidato do CDS está focado na melhoria da “qualidade de vida” dos espinhenses, e também no “crescimento social e económico” do concelho. Acredita que Espinho necessidade de uma aposta nas vertentes do turismo, cultura, desporto e associativismo, e define a acção social como peça central do seu programa eleitoral.

 

Candidata-se a presidente da Câmara Municipal de Espinho. Quais são as motivações da sua candidatura?

 

Candidato me a presidente porque esta terra é repleta de potencialidades onde ainda existe muito por fazer, pretendo devolver a Espinho o título de rainha da Costa Verde, com base na modernidade e não naquilo que foi o passado. As minhas motivações são, sem dúvida, poder melhorar a qualidade de vida dos espinhenses, desde os mais novos aos mais aos velhos em diversas áreas, poder contribuir para o crescimento económico e social. Fazê-lo de forma a tornar Espinho num concelho mais humanista, acolhedor e social. Um espinho mais inclusivo, competitivo, empreendedor, mais verde, acessível, dinâmico acima de tudo associativo, proativo, mais justo e confiante.

 

Como avalia o trabalho desenvolvido pelo atual executivo camarário nos últimos quatro anos?

Considero que o trabalho realizado pela autarquia não foi positivo, apesar do investimento no Recafe e na rede na malha urbana da cidade, muito ficou por fazer, nomeadamente na área social, como a construção de habitação para fixação de jovens, na área económica nomeadamente na falta de captação de investidores para uma maior industrialização e consequente criação de emprego, mais transferências de competências para as juntas de freguesia.

 

 

Na sua opinião, o que deve ser feito para incentivar o desenvolvimento do concelho de Espinho?

Acho que se deve apostar no turismo, na cultura, no desporto e no associativismo, que são o pilar de uma sociedade evoluída, devem ser requalificados os vários espaços desportivos e culturais atualmente degradados nomeadamente a Nave polivalente, a Piscina Municipal, FACE, e deve-se também apostar na requalificação dos equipamentos e espaços públicos, melhorar na limpeza e investir na promoção do turismo e eventos para todo o ano.

 

Leia a entrevista na íntegra na edição desta segunda-feira do Jornal N.