Ovar poderá sentir os impactos de quebra-mar de Leixões

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Os deputados do PSD/Aveiro na Assembleia da República revelaram, na passada quinta-feira, 23 de Julho, ter questionado o Governo sobre o impacto do prolongamento do quebra-mar de Leixões, em Matosinhos, nos concelhos a sul, nomeadamente em Vila Nova de Gaia, Espinho e Ovar. “Na pergunta agora dirigida ao ministro [das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos], o PSD questiona sobre quais os efeitos que o prolongamento do molhe [de Leixões, no concelho de Matosinhos, distrito do Porto] terá nos territórios a sul, nomeadamente na costa de Gaia, Espinho e Ovar. Por outro lado, pergunta-se se tem o governo conhecimento de estas populações e dos autarcas terem sido considerados no processo de definição da intervenção, dos contributos que apresentaram e do tratamento que lhes terá sido dado na elaboração do projeto”, descreve, em comunicado, o grupo parlamentar do PSD/Aveiro. Sobre a obra que, em janeiro de 2020, a Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) disse prever adjudicar em fevereiro, o PSD defende que, perante “o impacte que a intervenção poderá ter nos territórios a sul, seria de todo o interesse que o Instituto de Hidráulica e Recursos Hídricos (IHRH) da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) fosse, pelo menos, consultado neste processo”.

Leia mais na edição impressa.