Bloco de Esquerda propõe criação de respostas na área da saúde mental

O Bloco de Esquerda de Santa Maria da Feira assinalou hoje, 18 de junho,  o Dia Internacional do Pânico, através de um conjunto de propostas para reforçar a importância da Saúde Mental no Serviço Nacional de Saúde.

“A falta de resposta de saúde mental faz com que as pessoas muitas vezes sozinhas com o seu sofrimento, que a doença se agrave e se consumam cada vez mais psicofármacos em Portugal”, afirma o partido.

Neste sentido, o Bloco propõe a criação de: equipas comunitárias em todo o território nacional, de gabinetes de prevenção e tratamento de ansiedade e depressão nos centros de saúde, de uma resposta de internamento psiquiátrico para agudos em hospitais gerais e de respostas em cuidados continuados para saúde mental, residências para a promoção de autonomia e reabilitação psicossocial.

O partido refere ainda que o CHEDV “é um dos únicos do país que não tem esta resposta” o que, no entender dos bloquistas, “obriga ao envio de doentes para os antigos hospitais psiquiátricos, anacrónicos e afastados do utente, do seu ambiente e da sua família”.