“Se querem andar com uma barba brava têm que vir ao barbeiro bravo”

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Flávio de Jesus Reis, gerente da Bravo Barbershop em entrevista

É em Lobão, na Rua Principal, nº 2545 que se localiza a barbearia Bravo. Flávio de Jesus Reis, de 31 anos é o cabeleireiro e barbeiro e, também, o proprietário do espaço. O estabelecimento funciona de terça-feira a sábado, das 9h às 20h. Em entrevista ao Jornal N, Flávio Reis explica quais são os fatores que distinguem a sua barbearia das restantes, o papel que as redes sociais têm na promoção do negócio e qual o maior impacto que sentiu pelo seu estabelecimento estar encerrado devido à pandemia.

Há quanto tempo existe o espaço?

O espaço em si já tem 18 anos. Comigo, como proprietário faz este mês 12 anos.

Desde que idade exerce a profissão?

Comecei quando tinha 12 anos, e foi como uma brincadeira. Comecei a trabalhar nas férias de verão e acabei por ganhar gosto ao que fazia. Aos 14 anos foi quando comecei a trabalhar, a 100%, na profissão de barbeiro. Já há 19 anos que exerço a profissão.

Alguém na família que tenha essa profissão?

Tinha um irmão que ao fim de semana trabalhava como barbeiro. Na altura, fui para o espaço do patrão, onde trabalhava o meu irmão, e foi aí que comecei a trabalhar e a aprender. Depois acabei por ficar a trabalhar para esse mesmo patrão.

Quantas pessoas colaboram consigo?

Durante a semana somos duas pessoas e ao fim de semana somos três.

Quais os cortes de cabelo que têm mais adesão por parte das pessoas?

Neste momento acabam por ser os degradês e os cortes mais vintage e old-school.

Quais as características que distinguem a sua barbearia das restantes?

O que nos distingue, essencialmente, é o ambiente vintage que a barbearia tem e o facto de trabalhar um pouco à maneira antiga. As pessoas quando entram no meu salão parece que estão a entrar nos anos 80 e acabam por relembrar os tempos antigos, desde como se faziam as barbas e como se cortavam os cabelos. Fatores como a qualidade, o tratamento e o ambiente que é bastante agradável e familiar.

Como é a sua relação com os clientes?

Tenho uma excelente relação com eles. Costumo almoçar várias vezes com clientes. Dou-me muito bem com eles e acho, que eles gostam de mim pela simpatia, por ser brincalhão e pelo trabalho que faço. Essencialmente, gostam da minha maneira de ser e da maneira de como trabalho.

Face ao período em que esteve fechado qual o maior impacto que assinalou no negócio?

Estive quase dois meses fechados. As pessoas ligavam-me imensas vezes a perguntar se podia deslocar-me a casa delas. Acho que hoje em dia, o corte de cabelo é mesmo essencial e os homens acabam por ser mais vaidosos que as mulheres. Sem dúvida que o maior impacto foi a nível financeiro, porque não faturei durante esse tempo.

Mediante este regresso à normalidade, já consegue assinalar uma boa adesão por parte das pessoas ou sente que ainda existe algum receio?

Quando reabri o espaço pensei que iria ter uma quebra bastante grande. Mas fiquei surpreendido pelo contrário, porque tive muito trabalho. Houve uma boa adesão por parte das pessoas e todas estão a cumprir com as medidas de segurança.

Que medidas de segurança adotou para a reabertura do espaço?

Adotei todas as medidas de segurança impostas pela Direção Geral da Saúde. Todos os clientes devem fazer marcação por telefone, antes de se deslocarem ao espaço. O uso da máscara é obrigatório tanto da parte dos clientes como da parte dos trabalhadores. O uso de luvas e o desinfetar das mãos. De salientar que todos os materiais são desinfetados e esterilizados.

Acha que as redes sociais têm um papel importante para a divulgação do seu trabalho?

Muito importante. É através da minha página de facebook e de instagram, que hoje tenho clientes que são do Porto, de Aveiro, Vale de Cambra. A partir das redes sociais, consigo divulgar todos os meus trabalhos e falar de mim. Acho que, hoje em dia, as redes sociais são muito essenciais para promover o nosso trabalho, e acabam por ter algum impacto e resultado. Tenho uma pessoa que está encarregue da gestão das redes sociais da barbearia.

Que mensagem quer deixar à população?

Se querem andar com uma barba brava têm que vir ao barbeiro bravo. Convido todas as pessoas a virem visitar o espaço e a experimentarem.

Barbearia Bravo