SOS Vizinho procura auxiliar população com voluntários de todo o país

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Movimento conta com 15 voluntários no concelho de Santa Maria da Feira e lançou uma linha de apoio nacional gratuita .

 

O SOSvizinho é um projeto que ambiciona ajudar pessoas que se encontrem dentro dos grupos de risco emergentes da crise pandémica de Covid-19, permitindo-lhes fazer chegar bens de primeira necessidade e lançou uma Linha de Apoio nacional e gratuita para o mesmo efeito, através do 800 20 20 20.

Esta linha pretende dar resposta a todos os idosos, doentes crónicos e outros beneficiários que, por motivo do estado de quarentena, devem permanecer em casa e têm dificuldades em aceder à internet ou a lidar com tecnologia. Assim, o SOSvizinho irá dar resposta a qualquer necessidade, via chamada telefónica, todos os dias, de segunda a domingo, das 08h00 às 20h00.

A rede de voluntários em todo o território nacional está a fazer chegar a estas pessoas os bens essenciais e medicamentos que necessitam, evitando que saiam das suas casas e, consequentemente, estejam mais expostas.

No concelho de Santa Maria da Feira, existem, até ao momento, 15 voluntários de diferentes especialidades nas áreas da psicologia, enfermaria e medicina, integrados no projeto. Contudo, até à data, não se registou nenhum pedido por parte da população.

O projeto, que continua a crescer exponencialmente, é do conhecimento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e recolheu o apoio da ANAFRE e da CASES, aos quais se juntaram entidades privadas como a Altice, Fundação Ageas, Mitsubishi, Fundação EDP, entre outras. “Já se registaram mais de 3000 voluntários dispostos a levar ajuda àqueles que mais necessitam, mas são precisos mais”, refere a organização em comunicado.

“O projeto continua a trabalhar para estender a sua rede de voluntariado a nível nacional e para isso são precisas mais pessoas dispostas a ajudar como coordenadores e voluntários”. Desta forma, pretendem identificar, em cada município,
coordenadores que irão dar ajuda na operacionalização dos esforços do corpo de voluntários, para que a resposta ao fluxo de pedidos de ajuda de cada zona seja feita sem falhas. Nesta etapa do projeto, o movimento procura ainda parceiros que ajudem a munir os voluntários com um kit de higiene e segurança como álcool gel, máscaras e luvas.

Para participar, os voluntários devem registar-se na plataforma online em https://sosvizinho.pt , passando depois por um rigoroso processo de seleção que permitirá perceber se tem sintomas, se vive com alguém dentro do grupo de risco ou que possa estar contagiada, entre outros fatores. Após validação e seleção do candidato a voluntário, estes são organizados e geridos por um coordenador de concelho, que fará a atribuição de pedidos e gestão das suas disponibilidades. Por outro lado, os pedidos de ajuda podem ser feitos de duas formas: online, através do https://sosvizinho.pt/ preciso-de-ajuda , onde o beneficiário poderá submeter o seu pedido; ou através da linha verde nacional e gratuita 800 20 20 20 para efetuar o pedido, onde uma equipa de voluntários dará resposta todos os dias, no horário referido, enquanto durar o estado de emergência.

Todo o processo encontra-se automatizado para que cada necessidade seja suprida em 24 horas, desde o momento em que o pedido entra na plataforma. Assim, é alocado ao concelho e coordenador respetivos e este aloca-o a um voluntário disponível no seu turno. Os voluntários no terreno estarão devidamente credenciados e identificados para o desempenho da sua tarefa, bem como cobertos por um seguro criado de propósito para o âmbito da ação. As novidades sobre o projeto SOSvizinho vão sendo publicadas através das páginas de redes sociais como o Facebook e Instagram. Para mais informações, poderão contactar através do geral@sosvizinho.pt ; e para parcerias, através do comunicacao@ sosvizinhos.pt .