Cineteatro António Lamoso credenciado na Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses

O Cineteatro António Lamoso (CTAL) viu recentemente aprovada a sua candidatura para credenciação na Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP), etapa que traduz o reconhecimento oficial, pelo Ministério da Cultura, da qualidade técnica deste equipamento cultural.

A RTCP, lê-se no site oficial da rede, “é um instrumento estratégico fundamental para o combate às assimetrias regionais e para o fomento da coesão territorial no acesso à cultura e às artes em Portugal, assente na descentralização e na responsabilidade partilhada do Estado central com as autarquias e as entidades independentes”.

O Cineteatro António Lamoso apresentou a sua candidatura à RTCP em julho deste ano e viu agora aprovada a sua credenciação, que lhe permitirá avançar com uma candidatura, já em outubro, ao Concurso de Apoio à Programação dos Equipamentos. A carismática sala de espetáculos de Santa Maria da Feira reabriu as portas a 11 de janeiro de 2015, completamente renovada e com uma programação regular e diversificada. A intervenção no interior do edifício e na fachada permitiu reorganizar e qualificar os espaços, dotando este equipamento cultural de novas valências, mais conforto, soluções de mobilidade, melhores condições acústicas e flexibilidade de opções cénicas.

O CTAL dispõe de um auditório com 518 lugares, para espetáculos de música, dança, teatro e intermédia; café concerto para tertúlias, concertos, jam sessions, workshops, danças do mundo e performances; sala de dança para criação, serviço educativo, atividades formativas e lúdicas, e serviço de babysitting. O Cineteatro António Lamoso constitui-se como um agente de criação e produção artística transdisciplinar, e um espaço potenciador e difusor da dimensão criativa, mantendo uma ação permanente na construção de hábitos de consumo de bens culturais, assim como na construção, captação e fidelização de públicos, com particular responsabilidade na formação de valores estéticos nas gerações futuras.

Enquanto equipamento cultural, o CTAL assume-se como um espaço de encontro de públicos heterogéneos, com uma programação regular de qualidade, representativa das manifestações criativas do nosso tempo, para o desenvolvimento integrado da cultura.