Distinção da Bandeira Azul permanece na Praia Fluvial da Mâmoa

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Em Portugal, a Bandeira Azul será hasteada em 372 praias, mais 12 do que no ano transato

A Praia Fluvial da Mâmoa, em Milheirós de Poiares, renovou a distinção da Bandeira Azul.  O “aumento da rede de saneamento” em todo o concelho de Santa Maria da Feira e o “correto encaminhamento” das águas residuais de “cada vez mais habitações”, entre outros fatores, têm contribuído para a qualidade da praia e das suas águas.

Na próxima época balnear que se aproxima, a Praia Fluvial da Mâmoa vai hastear a Bandeira Azul pelo segundo ano consecutivo, através do reconhecimento da Associação Bandeira Azul da Europa. Informação e educação ambiental, gestão ambiental e equipamentos, segurança e serviços são alguns dos critérios avaliados para a atribuição do galardão. A eles, junta-se a “indispensável qualidade da água, para a qual tem contribuído de forma determinante a gestão de saneamento feita no concelho”.

Para garantir que a águas residuais que resultam da utilização doméstica ou industrial são devolvidas ao meio ambiente sem afetá-lo negativamente, a INDAQUA Feira e a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira têm concretizado diversos investimentos. Nomeadamente, desde o início da operação da INDAQUA Feira (2000), foram construídos 480 km de redes de saneamento à qual passaram a ter acesso mais 128 mil habitantes. Foram ainda desativados milhares de fossas particulares que levavam à contaminação de solos e águas subterrâneas.

“Todo o concelho tem contribuído para uma evolução positiva da qualidade dos recursos hídricos de Santa Maria da Feira. Isto porque os investimentos realizados só alcançam o seu propósito quando a população se liga às redes públicas, quer de saneamento, quer de abastecimento de água. Só assim conseguimos garantir que as águas residuais são devidamente encaminhadas e tratadas, evitando a poluição das linhas de água”, explica Ricardo Grazina, Diretor Geral da INDAQUA Feira. “No entanto, há ainda um longo caminho a percorrer, não só no aumento da adesão à rede pública de saneamento, mas também na sua melhor utilização, não descarregando todo o tipo de detritos que acabam por provocar obstruções na rede e alterações no processo de tratamento das ETAR”, acrescenta.

Nos concelhos em que a INDAQUA é responsável pela gestão e tratamento de águas residuais, foram atribuídas outras 19 Bandeiras Azuis – 13 em Matosinhos e seis em Vila do Conde.