Hospital da Feira tem 98 doentes Covid-19 internados. 21 estão na UCI

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Conselho de Administração do CHEDV está a preparar mais 20 camas de cuidados intensivos para internamentos de Covid-19

Na madrugada do dia 12 de novembro, o Hospital São Sebastião tinha, em enfermaria específica para Covid-19, um total de 98 doentes internados, aos quais se juntavam ainda 21 utentes na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI). O Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Entre Douro e Vouga (CHEDV) anunciou, ontem, que o Hospital S. Sebastião está a preparar mais 20 camas de cuidados intensivos para internamentos relacionados com a Covid-19. A medida deve-se à “evolução das necessidades crescentes de tratamento de infeções pelo vírus SARS-CoV-2 nos vários municípios da região”.

“Está neste momento a ser preparado um espaço para a ativação de mais 20 camas de cuidados intensivos, o que nos permitirá dar uma resposta acrescida às necessidades previsíveis para os próximos dias e semanas. Espera-se que esta nova área de tratamento comece a receber os primeiros doentes na manhã da próxima quarta-feira, dia 18 de novembro”, afirmou à Lusa uma fonte oficial do CHEDV.

Segundo estas informações está já estabelecido “um acordo com uma unidade privada da região, mediante o qual pode aí internar até 30 doentes do serviço de medicina interna sem patologia Covid”. A transferência verifica-se apenas nos casos que exibam “critérios clínicos adequados”, o que, nesta fase, justifica que cerca de 10 doentes tenham passado para esse hospital privado.

O CHEDV admite que a evolução da pandemia na região “tem sido muito expressiva” e que o crescente número de positivos à Covid-19, a carecer de internamento hospitalar, constitui “uma preocupação”.

A administração do centro hospitalar aguarda, por isso, a intervenção rápida do Instituto da Segurança Social, no sentido de ativar “a unidade de retaguarda que está a ser preparada para a transferência dos utentes que, tendo alta médica, se mantêm internados devido à falta de resposta social” e que viabilize o seu acolhimento seguro em casa, em estruturas residenciais para idosos ou noutras instituições.

Todos os municípios para os quais o Hospital São Sebastião funciona como unidade de referência integram a lista dos 121 que apresentam elevado risco de contágio por SARS-CoV-2 e estão, por isso, sujeitos ao dever cívico de confinamento e outras restrições à mobilidade geral.