Tribunal de Contas aprova para Arouca a ligação de Escariz à A32

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O Tribunal de Contas aprovou a ligação do Parque de Negócios de Escariz à Autoestrada A32, revelou na passada segunda-feira a Câmara de Arouca sobre o novo acesso à via que liga Oliveira de Azeméis a Vila Nova de Gaia. Segundo essa autarquia, o parecer favorável à obra de 30,4 milhões de euros constituiu assim “mais um passo no processo de construção da ligação viária do Parque de Negócios de Escariz à A32, o que possibilitará dar continuidade à variante de ligação da vila aos grandes eixos do litoral”.

Em causa estão mais 7,1 quilómetros de estrada para a variante que, entre Arouca e Santa Maria da Feira, aguarda há mais de 20 anos ser concluída. A solução encontrada para dar resposta ao problema foi evidenciar a perspetiva económica do projeto, uma vez que o recente parque empresarial de Escariz precisava de um acesso mais ágil às principais estradas do litoral.

Depois de o Governo aprovar o projeto, esse foi sujeito no final de 2018 a um primeiro concurso público que ficou deserto por envolver um valor base de adjudicação na ordem dos 26,4 milhões de euros e nenhum concorrente apresentar planos dentro desse orçamento, considerado insuficiente. Após uma atualização de preços, em maio de 2019 o procedimento foi relançado com um valor máximo de 32,4 milhões de euros e o concurso foi depois ganho pelo consórcio constituído pelas empresas Ferrovial Agroman S.A. e Alberto Couto Alves S.A., que se propôs concretizar a obra por 30,4 milhões.

A Câmara Municipal de Arouca prevê agora “que a consignação da mesma se faça ainda no decurso do primeiro semestre do corrente ano, segundo informou a Infraestruturas de Portugal”, após o que a empreitada terá um prazo de execução de 870 dias. Segundo revelou a autarquia, prossegue entretanto a expropriação de “cerca de 250 parcelas de terreno” para o efeito,
num investimento ainda por fechar, mas que acresce aos 30,4 milhões da empreitada física e que também  será suportado pela Infraestrutura de Portugal.