Última equipa de pescadores resistente no Furadouro soma prejuízo superior a 25 mil euros só este ano

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Longe vão os tempos em que Jacinto Rodrigues, de 74 anos, responsável pela última e única companha sobrevivente no Furadouro, tinha companhia no trabalho. Com o passar dos anos, o “Jacinto de Ovar” viu todas as outras tripulações abandonarem o Furadouro, e hoje resta apenas a sua. Está há 44 anos ligado ao sector da pesca, e o momento actual do ofício é crítico. “Neste momento, a pesca no Furadouro passa por um momento crítico, de muitas dificuldades. Tínhamos cá nove companhas, e hoje só existimos nós. Suportei tudo isto porque não vivo só da pesca. Vivo do meu esforço e do meu trabalho, que é vender peixe em vários armazéns de Aveiro” – afirma. Actualmente, Jacinto Rodrigues lidera uma tripulação de 10 a 12 elementos que pelas 06h30 se lança ao mar, em busca do “ganha-pão”. Uma jornada e uma luta que têm sido “difíceis”. “ Faço um grande esforço para que a tradição se mantenha no Furadouro até à hora da minha morte. A minha filha e o meu neto já não queriam que eu continuasse nisto, até porque neste momento estou a ter um prejuízo enorme. Mas como sempre gostei e tenho vaidade na manutenção deste sector no Furadouro, tenho lutado por ele, com muitas dificuldades” – diz.

Em 2020, o prejuízo da tripulação, que anseia apoio camarário e um olhar mais atento sobre o seu ofício, ascende os 25 mil euros. Jacinto Rodrigues entende que o estado actual do areal do Furadouro também não abona a favor da procura decrescente pelo pescado que se tem sentido. “O nosso Presidente da Câmara prestou-nos auxílio este mês, mas está a fazê-lo a “conta-gotas”. Só em 2020, já tenho um prejuízo superior a 25 mil euros. A nossa Praia do Furadouro está ao abandono. Está uma autêntica pouca vergonha. Não há quem faça nada por esta praia” – reitera. Para o responsável, não existem dúvidas: há uma diferença de tratamento para com as várias praias que compõem a zona balnear do concelho de Ovar.

Leia a reportagem completa na  edição impressa