McDonald’s de Lourosa festejou 25 anos de existência

A 15 de abril de 1998 abria o primeiro McDonald’s em Terras de Santa Maria. As primeiras “sandes redondas” chegaram a Lourosa naquele que foi o 47º restaurante em Portugal da gigante americana. Lembrar que a marca estava em Portugal há apenas cinco anos. A data foi celebrada comme il faut no passado sábado, 15 de Abril, com a presença de clientes, equipa de trabalho e todos aqueles que quiseram juntar-se à festa. Para além de Francisco Nadais, franquiado da marca, esteve também presente o palhaço Ronald McDonald que fez as delícias de quem por lá passou durante o dia. Durante os dias de sábado e domingo o restaurante de Lourosa ofereceu ainda um par de meias personalizado da marca por cada 25 clientes que se deslocaram ao local. 

Francisco Nadais mostrou-se feliz com a efeméride e passou em revista os 25 anos passados. Ficamos a saber que durante estas mais de duas décadas passaram pelo restaurante mais de 15 milhões de clientes. “Somos uma marca que tem clientes muito fidelizados. Muitas famílias, muitas crianças que cresceram na nossa companhia. Crianças que se tornaram adultos e que continuam a visitar-nos, agora também, com as suas crianças. Muitos que agora já são avós e que continuam connosco”, relatou Francisco Nadais orgulhoso.

O empresário tem mais quatro restaurantes – outro no centro de Santa Maria da Feira, dois em São João da Madeira e um em Espinho – que, no seu conjunto, empregam mais de 300 pessoas. Colaboradores com 20, 15, 10, 5 anos de antiguidade de empresa, mas também muitas outras pessoas que escolheram a McDonald’s para acompanhar o seu percurso académico ou crescimento pessoal e que hoje desenvolvem outas actividades, mas que continuam clientes e “embaixadores” da marca. “Fazemos crescer as nossas pessoas em termos humanos e profissionais, com valorização de competências e preparação contínua para um futuro que vai trazendo novas exigências, inovação e serviços que os restaurantes McDonald’s vão apresentando”, refere Francisco Nadais que faz questão de sublinhar que o critério de exigência é o mesmo de há 25 anos e que não há segredos para o sucesso por si alcançado. “Não há segredos. É uma maneira de estar que a marca tem e que nós, enquanto franquiados, absorvemos e pomos em prática”, explica.

Contrariando o mito de que quase todos os produtos apresentados pelos restaurantes McDonald’s são provenientes dos Estados Unidos, Francisco Nadais diz que a única coisa americana que tem no restaurante é a janela do drive in. “E só neste restaurante. Nos outros já é tudo feito cá. Obviamente que a marca nasceu lá, mas a matéria-prima para as sandwiches é toda europeia. 60 por cento da carne que temos já é de produção nacional, e não é mais porque não conseguimos ter cadeias de abastecimento para isso”, esclarece.

Curiosamente, muitas das empresas que começaram a trabalhar com os restaurantes portugueses da marca já extravasaram o mercado nacional e dão agora cartas a nível europeu. Francisco Nadais apontou, a título de exemplo, a portuguesa Vitacress, especializada em alfaces, que, depois de se relacionar com a McDonald’s em Portugal, está neste momento a fornecer quase todo o mercado ibérico e a desenvolver outros mercados. A Mendes Gonçalves, produtora de molhos, também já integrou a cadeia de abastecimento internacional da marca americana. O fornecedor português de mansardas e outras construções relacionadas com os restaurantes McDonald’s em Portugal foi recentemente selecionado num concurso internacional para fornecer toda a sinalética da marca a nível europeu. “São alguns exemplos de fornecedores que começaram com a marca em Portugal e que começam a ter uma visibilidade e uma oportunidade de negócio fora do nosso território. Estamos a crescer muito e a integrar os fornecedores portugueses nas cadeias internacionais de abastecimento e tudo isso tem um peso significativo em termos económicos”, explica Francisco Nadais.

Com 195 restaurantes no País, a McDonalds está presente em grandes e pequenas cidades. Essa presença obriga a uma responsabilidade social cuja dinâmica é explicada pelo empresário da região: “Temos uma acção social muito grande que exercemos através da Fundação Infantil Ronald McDonald, que é uma fundação que está junto a grandes centros hospitalares e que dá apoio a famílias que têm crianças em cuidados intensivos. Além disso, também fazemos questão de estar integrados na nossa comunidade. Obviamente que não podemos atender a todos os pedidos de ajuda, mas, na medida do possível, temos apoiado. Quer em termos desportivos, quer na ajuda a associações de carácter social. Fazemos o nosso bocadinho. Se toda a gente fizesse o bocadinho que nós fazemos, o mundo era muito mais fácil”.

Planos para o futuro? No próximo ano está prevista uma remodelação do espaço de clientes em Lourosa e, em Espinho, será instalada uma pérgula bioclimática como a já existente no restaurante de São João da Madeira. “Em termos de espaços novos, deve estar para acontecer alguma coisa este ano, mas vamos aguardar”, deixa no ar o empresário.

 

Luís Silva, o feirense que ‘comanda as tropas’ há 25 anos

Luís silva nasceu em São João de Ver. Não tendo entrado na faculdade “à velocidade que pretendia”, encontrou no restaurante McDonald’s de Lourosa uma oportunidade para matar o ócio e “fazer-se à vida”. De funcionário regular, passados 25 anos, hoje é o braço direito do empresário Francisco Nadais.

Luís é supervisor de operações. A função implica “gerir muitas pessoas, trabalhar de perto com uma equipa directa”, constituída pelos gerentes dos cinco restaurantes e com os seus dois assistentes, e dirigir tudo aquilo que envolve as operações: pessoas, productos, equipamentos, estratégias, custos e vendas. Os desafios, como se compreende, são muitos, mas “o maior de todos é as pessoas”. “Digo sempre que um Big Mac se faz com maior ou menor facilidade, mas lidar com muitas pessoas, todas diferentes, com opiniões e vontades próprias, é o maior dos reptos e, para mim, o mais interessante.

Questionado sobre o que significa para si a McDonald’s, a resposta é pronta. “Pode soar a cliché, mas, para mim, é família. Passamos cá muito tempo. A maior parte de nós veio para aqui ainda muito jovem. Conheci aqui a minha esposa. Outros colegas a mesma coisa. É um modo de viver em família”,afirma.

Luís Silva foi eleito em 2020 como Supervisor do Ano pela McDonald’s Portugal. Uma distinção atribuída num ano difícil, em plena pandemia, que veio reforçar a capacidade de liderança do feirense.

 

Na imagem: Francisco Nadais com Luís Silva

 

Artigos Relacionados