Os primeiros ‘aromas’ do Imaginarius

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Joel de Oliveira
O anúncio foi feito na passada quinta-feira, 19 de Abril, no Imaginarius Centro de Criação, pelo vereador do pelouro da Cultura, Gil Ferreira. Entre os dias 16 e 23 de Maio, o Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira estende-se às freguesias de Canedo, Argoncilhe, S. Paio de Oleiros, Lourosa, Fiães, Rio Meão, Milheirós de Poiares, Travanca, Souto, e ainda a vários pontos da capital concelhia, como a Casa do Moinho e o Museu Convento dos Lóios. “O Imaginarius é, hoje em dia, um Festival descentralizado e descentralizador” – enunciou Gil Ferreira.
A programação acrescentada serve como um alargamento de horizontes do “território Imaginarius”, e é acrescentada aos três dias de Festival habituais (24, 25 e 26 de Maio), e surge num momento em que o evento atinge a maioridade e sai para a celebrar no âmbito do Ano Europeu do Património Cultural, encontrando na cidade-berço a 5ª Capital da Cultura do Eixo Atlântico, um “sinal da resiliência feirense” – acrescentou o edil. O alargamento geográfico levará, assim, os espectáculos “Até sempre”, “Houston we have a problem”, “Hanno”, “Odyssee” e “Lonely are the lonely roads”. O Imaginarius conhece novas formas e contornos, numa política de alastramento que visa a “cultura de e para todos”, dotado de linhas que vão crescendo em dimensão e conteúdo com o avançar dos anos. “O importante não é sermos grandes, mas sim tornarmo-nos grandes” – acrescentou o vereador da Cultura, citando o testemunho de uma estudante feirense.
Leia mais na edição impressa do Jornal N ou assine a versão digital aqui